bancadas

Todos querem eleger mais parlamentares

A expectativa de todos eles é de sucesso eleitoral, neste ano, ampliando as suas representações

Danniel Oliveira, líder do MDB na Assembleia Legislativa, aposta no aumento da representação do seu partido, aqui e em Brasília ( Foto: José Leomar )
01:00 · 13.04.2018

Os dirigentes dos 18 partidos políticos com representação na Assembleia Legislativa têm como único objetivo, neste ano, ampliar a quantidade de seus representantes no Legislativo estadual, e para isso analisam todas as possibilidades possíveis. A maioria defende a constituição de um blocão (a reunião de todos os candidatos da base do Governo em uma mesma coligação) que abranja os interesses de todos os envolvidos, elegendo o maior número de parlamentares aliados do próximo Governo.

Atualmente com 12 parlamentares na Casa, o Partido Democrático Trabalhista (PDT), o principal apoiador do governador Camilo Santana, embora ele seja do PT, pretende ampliar o número de seus parlamentares para 15. Já para a Câmara Federal a intenção é dobrar a quantidade de membros, indo dos atuais três para seis.

De acordo com o deputado Osmar Baquit (PDT), há possibilidade de crescimento da bancada, principalmente, com a entrada na disputa de nomes com apoios de lideranças ou que estejam ligados ao Executivo. O parlamentar citou, por exemplo, a possibilidade de eleição de Lia Ferreira Gomes (irmão de Ciro e Cid Gomes), Guilherme Landim, filho de um ex-presidente da Assembleia, Welington Landim, e outros, mas ressaltou que haverá espaço para os atuais parlamentares pedetistas com mandato parlamentar.

"Se fizer uma análise fria, a Lia pode ser eleita, mas o irmão dela, o Ivo, tinha uma vaga de deputado, nesse caso seria apenas a manutenção da vaga . O Guilherme Landim pode ser eleito, mas o pai dele, o ex-deputado Welington Landim, também tinha a vaga (Welington morreu no início desta legislatura). Acredito que 80% dessas renovações se darão entre pessoas do mesmo grupo, da mesma família", disse, justificando a possibilidade de ser registrado, neste ano, uma grade renovação no Legislativo cearense.

Aumento

Sérgio Aguiar (PDT) afirmou que dentro da chapa que está sendo formada pelo PDT, com destaque para nomes como o do ex-chefe de gabinete do prefeito Roberto Cláudio, Queiroz Filho (PDT); e do presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (PDT), além dos já citados, há expectativa de aumento da bancada. "Acredito que nosso número pode passar de 12 para 14 ou 15 parlamentares, se constituindo assim a maior bancada do parlamento cearense".

Para a Câmara Federal, ele destacou que André Figueiredo, Leônidas Cristino, Robério Monteiro, Eduardo Bismarck, Mosiah Torgan e Antonio Balhmannn podem ser nomes que terão êxito no pleito de outubro, renovando seus mandatos (no caso de Mosiah, ele substitui o pai, Moroni Torgan, vice-prefeito de Fortaleza). Sérgio destacou que esta poderá ser a maior bancada por Estado que o PDT terá no Congresso Nacional.

Agora na oposição, o PROS está em processo de formalização de diretório e crescimento no Estado. De acordo com Capitão Wagner, a chapa para estadual tem 69 pretensos postulantes, enquanto que a de federal já apresentou 33. A legenda tem pretensão de eleger até quatro deputados estaduais e três federais, aproveitando a sobra da votação esperada por ele.

Em 2014, o PT elegeu apenas dois deputados estaduais e quatro federais. Atualmente, depois das mudanças partidárias e reorganização das bancadas em nível local e federal, o partido possui quatro parlamentares na Assembleia Legislativa e três na Câmara dos Deputados. Segundo informou a deputada Rachel Marques, o partido só tomará decisão após encontros táticos e convenções, mas tem como intuito eleger até cinco deputados estaduais e quatro federais.

Participação

Elmano de Freitas, Moisés Braz e Dedé Teixeira são pré-candidatos à eleição pela sigla petista. Os vereadores de Fortaleza, Acrísio Sena e Guilherme Sampaio também pretendem atuar na Assembleia Legislativa a partir do próximo ano. Luizianne Lins, Zé Airton Cirilo e José Nobre Guimarães, segundo ela, também pretendem retornar à Câmara Federal. Rachel Marques também quer ir para federal.

O deputado Danniel Oliveira destacou que o objetivo do MDB é ampliar sua bancada em nível estadual e federal. Atualmente com apenas quatro deputados na Assembleia, o partido acredita poder eleger até seis, e aumentar a participação de mais um emedebista na Câmara Federal. Para isso, o apoio de gestores municipais será fundamental, segundo afirmou o emedebista. O MDB foi um dos partidos com atuação no Ceará que mais perdeu quadros no mês da permissão para mudança de partido.

O PCdoB, de acordo com George Valentim, suplente no exercício do mandato, quer aumentar a participação de seus quadros na Câmara Federal, e deve focar nos nomes de Inácio Arruda e Chico Lopes. Em 2014, o partido elegeu dois nomes para a Assembleia Legislativa - Carlos Felipe e Augusta Brito - e tem pretensão de eleger três no pleito deste ano.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.