Retorno dos trabalhos

Segurança Pública deve motivar debates na Câmara

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) estará na Câmara Municipal hoje. Também são esperados o vice, Moroni Torgan, e os secretários municipais ( Foto: Fabiane de Paula )
01:00 · 01.02.2018

A Câmara Municipal de Fortaleza retoma hoje (1º) suas sessões plenárias, após mais de um mês de recesso. O prefeito Roberto Cláudio (PDT) estará presente, para apresentar a prestação de contas do primeiro ano do segundo mandato e destacar projetos da gestão para este ano. Os trabalhos da Casa retornarão após a recente Chacina das Cajazeiras, ocorrida na madrugada do último sábado (28), que vitimou 14 pessoas. De acordo com parlamentares ouvidos pela reportagem, o tema deve, inevitavelmente, ser pauta das discussões neste começo de ano.

Segundo o vice-líder do prefeito na Casa, Michel Lins (PPS), o assunto foi discutido ontem (31) em almoço dos líderes da gestão na Câmara. Foi consenso entre os governistas que o tema deverá ser explorado pela oposição. "Foi um alinhamento normal sobre o que vai ser falado. Discutimos o que a própria oposição deve tratar de tema", declara.

Márcio Martins (PR), líder da maior bancada de oposição na Casa, aponta que isso seria inevitável em razão da matança no bairro Cajazeiras. "É a demanda que urge, não tem como a pauta ser outra que não segurança pública", afirma. O líder da bancada do PDT na Casa, Iraguassú Filho, também aposta no tema, mas defende que é preciso que se tome precauções para "fazer uma discussão na perspectiva de encaminhar soluções, e não um debate eleitoral".

O parlamentar aponta como importante, ainda, a discussão sobre o Código da Cidade, mensagem do prefeito que tramita na Casa há mais de um ano e está prevista para ser votada neste semestre. "O meu sentimento é de que, nesses primeiros dois meses, acredito que esse assunto deve estar nas articulações", diz.

O líder do PPL, Gardel Rolim, sustenta que a Casa não deve demorar a tocar no assunto: a Câmara, segundo ele, deve retomar as discussões sobre a matéria já na semana que vem, para tentar viabilizar a votação do projeto ainda neste semestre. Acrísio Sena (PT), relator do Código, por sua vez, informa que o calendário de discussões para a matéria ainda será definido.

Rolim também acredita que a segurança deverá ser discutida no retorno de trabalhos, mas defende que a administração já está tomando as medidas necessárias para enfrentar o problema em âmbito municipal. O pepelista cita, como exemplo, as células de proteção comunitárias e medidas de requalificação urbana nas áreas com maiores taxas de homicídio da Cidade.

Mensagens

As pautas dos debates desta semana não foram o único tema debatido no almoço da liderança do governo. Segundo Michel Lins, também foram traçadas estratégias para o relacionamento com os liderados.

De acordo com ele, uma das decisões foi de apresentar aos governistas as mensagens que serão encaminhadas pelo prefeito à Casa antes de serem protocoladas. A intenção é garantir que haja "uma boa discussão" das propostas do Paço Municipal. Michel Lins afirma que o primeiro encontro deverá ocorrer após o Carnaval, quando serão apresentadas três mensagens que o prefeito Roberto Cláudio quer ver aprovadas pelos vereadores.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.