Julgamento

PT e aliados iniciam atos pró-Lula no Ceará

01:00 · 09.01.2018

O Partido dos Trabalhadores (PT) se reuniu, ontem, com representantes do PCdoB e do PCO em defesa da participação do ex-presidente Lula na disputa eleitoral deste ano. O PSB enviou um representante, mas o PDT, diferente do que tinha anunciado a sigla petista, não participou do evento.

Apesar de parte da esquerda demonstrar interesse na permanência de Lula no pleito deste ano, cada partido trabalha com o objetivo de lançar candidatura própria, sem unidade eleitoral. Também participaram do encontro a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a  Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil  (CTB).

No encontro, membros do PT determinaram como serão as manifestações contra o julgamento de Lula no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre. Apesar de o discurso oficial ser o de manutenção de uma candidatura do petista à Presidência, alguns correligionários já consideram a possibilidade de ele vir a se tornar inelegível com decisão do próximo dia 24 de janeiro.

"Quando observamos as decisões judiciais até aqui, com provas insuficientes para uma condenação, temos que incluir essa possibilidade (de inelegibilidade de Lula)", disse o vereador Guilherme Sampaio. Segundo ele, é preciso haver pressão popular sobre todos os poderes, inclusive o Judiciário, para que este seja um pilar da democracia.

O senador José Pimentel criticou a celeridade da Justiça para o caso de Lula, enquanto "grandes devedores" não são cobrados pelo Judiciário. O deputado federal José Guimarães disse que o importante, no momento, é a permanência de Lula no processo eleitoral. Segundo ele, uma discussão ampla de unificação das esquerdas será feita depois. "Vai chegar o momento de sentar e discutir, isso é normal". Já os deputados Elmano de Freitas e Moisés Braz defenderam uma unificação das esquerdas já no primeiro turno.

As movimentações do PT já têm início hoje, em Limoeiro do Norte, Quixadá, Quixelô e Fortaleza. Amanhã, a concentração ocorrerá no Crato e na Capital. Na sexta, haverá reunião no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Crateús e, no dia 13, diversos movimentos em Crateús, Fortaleza, Meruoca e Juazeiro do Norte. No dia 24, data do julgamento do ex-presidente, haverá um ato ecumênico e apresentações culturais na Praça da Justiça.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.