Janela partidária

PROS aguarda filiação de Capitão Wagner até dia 21

Eurípedes Júnior (de paletó), em 2013, quando veio acertar o ingresso dos integrantes do grupo de Ciro e Cid Gomes ao PROS ( Foto: Fabiane de Paula )
01:00 · 17.03.2018

O diretório nacional do Partido Republicano da Ordem Social (PROS) tem a expectativa de que a filiação do deputado estadual Capitão Wagner ocorra até a próxima quarta-feira (21), embora não tenha sido divulgada, até o momento, nenhuma data para eventual solenidade. O parlamentar, ainda no PR, chegou a anunciar, em janeiro, a mudança de bandeira, mas as conversas com a sigla esfriaram. Outros partidos foram consultados por ele entre fevereiro e o início de março, mas o acerto positivo com a ex-legenda dos irmãos Ciro e Cid Gomes teria avançado a partir da autonomia oferecida ao deputado.

Uma reunião aconteceu na última quarta (14) entre Capitão Wagner e o presidente nacional do PROS, Eurípedes Júnior. O dirigente informou ao Diário do Nordeste que a "expectativa é de filiação até a próxima quarta-feira". O acordo também foi confirmado por outro dirigente do partido. Agora, a decisão a ser tomada é sobre a candidatura do parlamentar: se será ao Governo do Estado ou à Câmara dos Deputados. "Capitão Wagner tem qualificação para disputar qualquer cargo na esfera política", disse.

O presidente afirmou, ainda, estar tranquilo quanto à cláusula de barreira, que força as legendas a elegeram mais deputados federais, liberando Wagner para a escolha. Para Eurípedes, "o PROS está sólido no Brasil e superará já em 2018 a cláusula de barreira proposta para 2030".

A entrada do deputado estadual e de outros nomes, a princípio, não deve alterar os diretórios municipal e estadual do PROS. Segundo o presidente nacional, o comando no Ceará seguirá com o deputado federal Vaidon Oliveira, que, inclusive, acompanhava Capitão Wagner no evento do partido realizado na Assembleia em janeiro.

Grupo

Na quarta-feira da reunião entre Eurípedes e Capitão Wagner, o vice-prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa, também cumpria agenda no Distrito Federal, mas a presença dele no mesmo encontro não foi confirmada. A deputada estadual Fernanda Pessoa, filha dele, adiantou que Roberto estava otimista com a viagem a Brasília e possível acerto com o PROS. No mesmo grupo político que deixa o PR, agora sob a tutela da deputada federal Gorete Pereira no Ceará, está o vereador Soldado Noélio. "É um dos (partidos) mais prováveis", confirmou o parlamentar.

O deputado estadual Roberto Mesquita, insatisfeito com o PSD, também estaria de malas prontas para o PROS, mas prefere manter a cautela. "O PROS é uma opção que se apresenta bem real, mas vou para o partido que o Capitão for", explicou,

O partido chegou ao Ceará após a filiação do então governador Cid Gomes e do irmão, Ciro. Elegeu, em 2014, 12 deputados estaduais e três federais. Depois, a maioria migrou para o PDT. A possível entrada de Wagner renova esperanças da sigla de voltar a ter um número significativo de parlamentares eleitos.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.