PSC na Disputa presidencial

Presidente do BNDES reforça pré-candidatura

Na Capital, ontem, Paulo Rabello participou de encontro estadual do PSC junto do presidente nacional da legenda

Pastor Everaldo, presidente nacional do PSC, discursa para filiados sobre as pretensões do partido nas eleições de outubro próximo ( Foto: JL Rosa )
00:00 · 23.02.2018

Em encontro estadual do Partido Social Cristão (PSC), ontem, o presidente do BNDES, Paulo Rabello, que cumpriu agenda em Fortaleza, reforçou sua pré-candidatura à Presidência da República. Durante o evento, o economista alertou que o momento no País é "de decisão", mas disse que os brasileiros ainda estão distraídos sobre a importância das eleições gerais deste ano. Dirigentes cearenses da legenda, que é da base do Governo Camilo Santana (PT), enfatizaram ainda que, embora outros partidos aliados do governador já tenham apresentado pré-candidaturas próprias a presidente, é possível construir um palanque sem conflitos no Estado.

Paulo Rabello chegou ao encontro do partido acompanhado da presidente estadual da legenda, Nicolle Barbosa, que preside a Agência do Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) e é pré-candidata a deputada federal. Na mesa, também estavam o presidente nacional da sigla, Pastor Everaldo Pereira, o ex-senador paraibano Marcondes Gadelha e o presidente do PSC da Bahia, Eliel Santana.

Para Rabello, que presidiu o IBGE e está desde maio de 2017 no BNDES, o partido está caminhando junto com o Brasil, em um momento considerado decisivo para o País. "Os brasileiros, de modo geral, estão preocupados, mas ainda distraídos a respeito desse assunto. Porque parece longe, mas é muito próximo e muito importante. O principal assunto dos próximos anos vai ser decidido nos próximos meses", disse. "Há 40 anos estamos dedicados a pensar e refletir sobre o Brasil. Está na hora de não só pensar, mas fazer. E vamos fazer", sustentou.

Antes do encontro, Paulo Rabello e Nicolle Barbosa estiveram com o governador Camilo Santana, em reunião considerada "técnica". À noite, o presidente do BNDES participou do evento "Ideias em Debate", realizado pela Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec).

Questionado sobre a construção de um palanque no Ceará, Rabello preferiu que Nicolle Barbosa respondesse. A titular da Adece, por sua vez, explicou que, apesar de o partido ser da base de Camilo, uma construção é possível. "Acho que tem espaço para todo mundo. O Paulo tem a proposta dele para ser apresentada. É uma pessoa querida no setor produtivo. Portanto, vai dar para a gente fazer esse palanque sem criar conflitos", disse.

A dirigente também destacou que o partido comporá coligação com o bloco governista na disputa para deputado federal, mas irá com chapa pura para a eleição proporcional por vagas na Assembleia Legislativa.

O encontro de ontem, que reuniu entre 50 e 60 filiados, reforçou o nome do economista para o Palácio do Planalto e a pré-candidatura de Nicolle Barbosa a deputada federal. O PSC busca, além da vaga na Câmara dos Deputados, eleger ao menos três nomes para a Assembleia.

Nacional

Nos cargos majoritários, de acordo com o presidente nacional da sigla, Pastor Everaldo, a realidade de cada estado será debatida. "O foco hoje é eleição de deputados estaduais e federais. Como não temos condição de lançar uma candidatura majoritária, por enquanto, é isso. Depois vamos ver", disse. Ele afirmou que espera o fim do prazo para filiações de pretensos candidatos, em 7 de abril, para tratar de candidaturas a outros cargos e articulações locais. "Nós só vamos falar de alianças após 6 ou 7 de abril. Só depois vamos estudar aliança. Nossa preocupação é construir a chapa para deputado estadual e viabilizar a eleição de deputado federal", resumiu.

A fala de Paulo Rabello aos filiados do PSC cearense foi o último ato do encontro estadual. O economista justificou a presença no evento como uma coincidência de agendas. "A nossa correligionária, secretária Nicolle, que também dirige a Agência do Desenvolvimento do Estado, por ser filiada ao PSC, me convidou para passar aqui para dar um abraço nos correligionários", explicou. Segundo o partido, Rabello deve deixar a direção do BNDES em breve para iniciar a pré-campanha.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.