Proporcional

Preocupação com os concorrentes

01:00 · 19.05.2018

O presidente estadual do PDT, deputado federal André Figueiredo, já não acredita na formação de um “blocão” com os mais de 20 partidos aliados ao Governo do Estado, na disputa por cadeiras na Assembleia Legislativa neste ano. Ao Diário do Nordeste, o dirigente de uma das principais legendas da base de sustentação do Governo Camilo Santana (PT) admitiu a possibilidade de que dois blocos sejam formados, algo diferente do “chapão”, como vem sendo defendido, inclusive, por alguns pedetistas. Outras legendas governistas também já trabalham alianças com partidos menores ou devem ir “sozinhas” para a disputa.

Apesar de saber que as definições em torno das coligações a serem formadas na disputa para a Assembleia Legislativa e para a Câmara Federal só deverão ser chanceladas a partir de julho, durante o período das convenções partidárias, os partidos se articulam e estudam todas as possibilidades. Há pouco tempo, a ideia de fazer um “blocão” com os partidos da base do governo era a mais forte entre seus aliados. No entanto, vem perdendo força e já não há um consenso sobre qual a melhor estratégia para se eleger o maior número de deputados governistas. 

Sozinho

Um dos principais motivos de dirigentes partidários, principalmente de siglas pequenas, não quererem aderir ao “blocão” é o medo de não terem cacife eleitoral para eleger seus candidatos, visto que disputarão vagas com candidatos “fortes” de partidos maiores. O PDT é um dos partidos mais citados entre os que deverão ter alta média de votos, em razão de seus pretensos candidatos apresentarem, segundo aliados, alto “poder de fogo”.

Justamente temendo prejuízos é que a bancada estadual do PP definiu, em visita realizada na última quinta-feira (17) ao gabinete do atual secretário das Cidades, Paulo Henrique Lustosa, secretário geral do partido, juntamente com o presidente da legenda no Estado, Antônio José Albuquerque, que não aceitará uma coligação só com o PDT.

Essa possibilidade chegou a ser ventilada por alguns pedetistas nas últimas semanas. Segundo o deputado estadual do PP, Leonardo Pinheiro, presente ao encontro, essa tática é descartada. “O PP não quer ir sozinho, isolado com o PDT”. Ele só aceita a aliança com todos os partidos. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.