Aliados não reeleitos

Prefeito acomoda ao menos 12 ex-vereadores na gestão

01:00 · 18.01.2018

A renovação no plenário da Câmara Municipal de Fortaleza em 2017 não significou que parlamentares que não se reelegeram saíram de cena. De acordo com dados levantados pelo Diário do Nordeste junto ao Portal da Transparência da Prefeitura, ao menos 12 ex-parlamentares foram aproveitados pelo Executivo em cargos na administração municipal. Todos eles foram membros da base do prefeito Roberto Cláudio (PDT) durante seu primeiro mandato.

O caso mais visível é o de Carlos Dutra (PDT). O parlamentar, apesar dos quase oito mil votos obtidos, ficou de fora da Casa. Agora, ele é secretário de Esportes de Fortaleza, recebendo vencimentos de R$14,7 mil. Entretanto, em outros níveis de governo, são muitos os ex-parlamentares com cargos. Apenas como secretários-executivos são dois: Fábio Braga (PODEMOS) atua no Instituto Municipal de Desenvolvimento de Recursos Humanos (Imparh), com salário de R$11,3 mil, enquanto Marcus Teixeira (PDT) ocupa o mesmo cargo na Secretaria Executiva Regional III , recebendo R$9 mil.

Além de Dutra e Teixeira, outros dois ex-vereadores pedetistas ocupam cargos na administração: Eulógio Neto é assessor especial da Central de Licitações da Prefeitura, com vencimentos de pouco mais de R$7 mil, enquanto Gerôncio Coelho ocupa o mesmo cargo, mas na Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC). O salário dele é de cerca de R$4,2 mil.

Mais cargos

Depois do PDT, a segunda maior "bancada" de ex-vereadores no Executivo cabe a dois partidos: um deles é o antigo PTN, hoje PODEMOS. Além de Braga, Alípio Rodrigues é assessor especial do gabinete do prefeito, com salário de R$7 mil. Já o PSD tem Marcus Aurélio na Secretaria de Finanças e Paulo Diógenes como coordenador de Políticas para a Diversidade Sexual, posto ligado à Secretaria de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social. Eles recebem R$4,6 mil e R$9,5 mil, respectivamente.

O ex-vereador Gelson Ferraz (PRB), por sua vez, é assessor especial da Secretaria de Esportes, onde recebe R$6,7 mil. Robert Burns (PTC), por sua vez, atua na Secretaria de Finanças, com vencimentos de R$9,2 mil.

Há ainda os casos daqueles ex-vereadores que não tentaram reeleição. José do Carmo (PSL) é presidente da Empresa Municipal de Transporte Urbano (Etufor), e Toinha Rocha (PPL), coordenadora de Bem-Estar e Proteção Animal, cargo ligado à Secretaria de Conservação e Serviços Públicos. Ela recebeu, em dezembro, mais de R$ 20 mil, o que incluiu a gratificação natalina que, antes dos descontos, representa R$2,2 mil. Do Carmo não foi localizado no Portal. Já Wellington Saboia (Avante) ocupou posto na Secretaria de Finanças de fevereiro a abril de 2017. Ele recebia R$5,3 mil.

Procurada, a Prefeitura não respondeu aos questionamentos da reportagem até o fechamento desta matéria sobre o critério para escolha dos ex-vereadores para os cargos. O Diário do Nordeste tentou entrevistar Eulógio Neto, Fábio Braga, Gerôncio Coelho e Gelson Ferraz, mas apenas este último falou com a reportagem. Segundo ele, sua função, de assessor especial, consiste em representar o titular da Pasta em atividades às quais ele não pode comparecer.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.