PROJETO

Política cicloviária com recursos da Zona Azul

01:00 · 31.05.2018

A Câmara Municipal de Fortaleza aprovou, ontem, em primeiro turno, a destinação dos recursos dos estacionamentos Zona Azul para financiar, além do próprio programa, a política cicloviária da Capital. De acordo com a justificativa do projeto de autoria do Paço Municipal, a medida vai ao encontro da Política Nacional de Mobilidade Urbana, "uma vez que constitui a alocação de recursos oriundos do uso do espaço público pelo transporte individual motorizado como instrumento viabilizador e promotor do modal cicloviário, o qual deve ser priorizado".

Para a Prefeitura, o crescimento da população que desloca-se diariamente na Cidade "implica diretamente na necessidade de planejamento da mobilidade urbana de forma inclusiva e sustentável". O projeto, que ainda precisa ser votado em segundo turno, foi defendido na tribuna por parlamentares.

De acordo com Evaldo Lima (PCdoB), a proposta fazia parte de "um marco da gestão do prefeito Roberto Cláudio (PDT)", que é justamente a política cicloviária. Para ele, os avanços que a Cidade teve nos últimos anos na área são inegáveis. Guilherme Sampaio (PT) também defendeu que o projeto era positivo. Entretanto, segundo ele, o texto original trazia um erro que acabava por retirar dos concessionários da Zona Azul o dever de fazer investimentos para manutenção e viabilização desses equipamentos. De acordo com o petista, isso deve ser corrigido por meio de emenda em segundo turno graças a um acordo com a liderança do governo.

Já Benigno Jr. (PSD) lamentou a não aprovação de uma emenda de sua autoria que previa a criação de novas modalidades de estacionamentos rotativos, mais baratos e de curta duração, além de outra que pedia que regiões menos nobres da Capital tivessem valores diferenciados para os estacionamentos. Segundo o vereador, as duas medidas já foram implementadas em outros estados, como Santa Catarina. O pessedista disse que as sugestões foram vetadas por serem entendidas como prerrogativas do Poder Executivo. Por esta razão, Benigno pediu que o prefeito abrace as propostas.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.