Candidatura ao Senado

Opositores podem apoiar ex-aliado

01:00 · 10.03.2018

Além de enfrentar a adesão cada vez maior de partidos à base governista, a bancada de oposição também acumula dificuldades internas para encontrar unidade em seus posicionamentos. Com possibilidade de ter até três palanques no Ceará, lideranças políticas que fazem parte do grupo oposicionista tendem a votar em candidatura ao Senado que deverá estar ao lado do governador Camilo Santana (PT).

Não há unidade entre os poucos líderes da oposição, e isso vem incomodando alguns de seus liderados desde o ano passado, quando a bancada começou a ser reduzida na Assembleia Legislativa. Não foram poucas as vezes em que deputados reclamaram que dirigentes estariam deixando a bancada desassistida no Ceará ao priorizarem o cenário político nacional.

Até o momento, somente o PSOL lançou pré-candidatura de oposição ao Governo do Estado. No entanto, o partido não tem qualquer relação com a cúpula oposicionista cearense e busca alinhamento com partidos com ideologia semelhante à sua, como PCB e PSTU. Capitão Wagner (ainda no PR) vem tentando se consolidar como o nome do grupo, mas existe a possibilidade de que o PSDB também lance eventual candidatura tucana para que o presidenciável da sigla tenha palanque no Estado.

No entanto, os próprios opositores reconhecem que não têm pessoal suficiente para fechar duas chapas competitivas para a disputa. Essa falta de sintonia tem gerado incertezas entre os membros do grupo.

Apoio a Eunício

A maioria dos deputados federais de oposição, conforme os próprios membros da bancada, vai defender a reeleição de Eunício Oliveira (PMDB) ao Senado. De acordo com informações, Domingos Neto (PSD), Moses Rodrigues (PMDB), Vitor Valim (PMDB), Vaidon Oliveira (PROS), Aníbal Gomes (PMDB), Gorete Pereira (PR), Cabo Sabino (ainda no PR) e Genecias Noronha (SD) tendem a apoiar a reeleição do senador.

O peemedebista, porém, deve estar ao lado de Camilo Santana na disputa eleitoral deste ano. Isso tende a dificultar ainda mais uma eventual chapa da oposição, visto a necessidade de apoio da bancada.

De acordo com Capitão Wagner (PR), a unidade na bancada só se dará a partir da formação de uma chapa. "Quase todo mundo que está na oposição vota no Eunício e, enquanto não tivermos uma chapa, eles vão votar nele. Não tem como ir para uma chapa sem termos unidade".

Enquanto não definem como vão para a disputa deste ano, os ânimos entre os opositores vão se alterando, ainda que tentem demonstrar o mínimo de unidade. As principais legendas que fazem parte da bancada, hoje, são PSDB, PSD e SD.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.