Críticas duras

'Não vai funcionar; vai promover uma ilusão', afirma Ciro Gomes sobre intervenção no Rio

Segundo Ciro, "os bandidos, que estão mais organizados do que as forças policiais, se escondem ou migram para outros estado onde isso [intervenção] não está acontecendo até que o Exército se retire"

Entre os motivos para acreditar que a intervenção não irá funcionar, Gomes destacou que as "Forças Armadas são treinadas para matar o inimigo, não para proteger a comunidade" ( Foto: José Leomar )
17:26 · 19.02.2018 / atualizado às 17:57

O pré-candidato à presidência Ciro Gomes (PDT-CE) afirmou, nesta segunda-feira (19), que a intervenção federal no estado do Rio de Janeiro "não vai funcionar".

Em entrevista concedida ao colunista do Diário do Nordeste José Maria Melo, Ciro ressaltou que a motivação da intervenção é "mesquinha e 'politiqueira' porque não obedece a nenhum critério, nem estudo e nem planejamento, mas guarda coerência como uma súplica".

"Há uma grande reclamação da sociedade brasileira em relação à aparente impotência com que as autoridades têm enfretado a violência, o banditismo. As facções criminosas estão infelicitando a sociedade ante a desmoralização da lei e das autoridades do País", disse.

O pré-candidato enfatizou, ainda, que a medida não vai funcionar, "mas vai promover, por um certo momento, uma ilusão". Segundo ele, na medida em que "entra um aparato gigantesco, os bandidos, que estão mais organizados do que as forças policiais, se escondem ou migram para outros estado onde isso [intervenção militar] não está acontecendo até que o Exército se retire".

Além disso, Ciro disse que as "Forças Armadas são treinadas para matar o inimigo, não para proteger a comunidade".

Confira a entrevista:

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.