Crise na Segurança

Camilo sobre violência: 'Não é com varinha mágica e discurso oportunista que vai resolver'

Em discurso na abertura do ano legislativo, na Assembleia, governador critica 'oportunistas de plantão' e falta de união no Estado

12:45 · 02.02.2018 / atualizado às 14:15
Camilo-Santana
Governador falou aos deputados nesta sexta-feira, na Assembleia ( Foto: José Leomar )

O governador Camilo Santana falou, nesta sexta-feira (2), na abertura do ano legislativo, na Assembleia. Entre os temas abordados, falou sobre segurança pública, área que ganhou massiva repercussão após a Chacina das Cajazeiras, que deixou 14 pessoas mortas no último dia 27. Em discurso inflamado, o chefe do executivo estadual criticou, sem citar nomes, os "oportunistas de plantão", que, segundo ele, aproveitam o atual momento de escalada da violência no Estado para questionar a efetividade das forças de segurança. "Não vamos alcançar isso (melhora na situação da segurança) com varinha mágica ou discurso oportunista", disse.

Ainda segundo o governador, há uma "falta de união" no Estado em prol do combate à violência. Ele ressaltou que está aberto a sugestões e que espera contar com a ajuda dos três poderes para melhorar a segurança pública do Ceará. "Agora é igual time de futebol: todo mundo quer ser técnico. Dizem que a polícia civil é despreparada, que não está equipada. É claro que nós sabemos que ainda não temos as condições efetivas e ideais para a segurança pública, mas estamos trabalhando muito para alcançar", pontuou.

O governador também negou ficar chateado com críticas e reclamações, principalmente por parte da população. Segundo ele, as pessoas que sofrem com a violência "estão no seu direito" de reclamarem e cobrarem melhorias, e que o combate às facções será ainda mais forte daqui para frente. "O crime não pode e não vai vencer o Estado, jamais". 

Confira o discurso de Camilo na íntegra:

Problema nacional

Ainda na Assembleia, Camilo afirmou que o problema da escalada da violência atinge os 27 estados do País. Ele evitou criticar o Governo Federal, mas disse que há uma ausência de planejamento que precisa ser superada. 

"Nao culpo apenas este governo atual, mas todos os outros que passaram e não deram a devida importância para a violência neste País. Dizem que estou responsabilizando o Governo Federal e isso é mentira. A minha crítica, e isso eu falei diretamente para o presidente (Temer), é que estamos pagando um preço caro pela falta de planejamento. Não há um plano de segurança nacional", comentou.

Por fim, o governador ressaltou que a gestão não mede esforços para garantir investimentos à segurança pública. Enfatizou também o aumento do efetivo de policiais militares ao longo dos últimos 3 anos.

Incentivo ao turismo

Além de falar sobre a segurança pública, Camilo também ressaltou alguns pontos que considera positivos no Estado, como a situação financeira dos cofres públicos e o desempenho da educação. O governador aproveitou para comentar, ainda, sobre o incentivo ao turismo no Ceará, com a chegada de mais voos no Aeroporto de Fortaleza e investimento nas infraestrutura de rodovias.

"Até março ou abril, vamos entregar toda a duplicação da CE-040, que liga Beberibe a Aracati. É uma obra importante para o turismo e segurança das estradas no Ceará. Além disso, o setor será ainda mais incrementado ao longo de 2018, com a chegada de 43 novos voos nacionais e internacionais no Aeroporto Internacional Pinto Martins", conclui.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.