turno da tarde

Mudança no horário das sessões da Câmara

01:00 · 27.03.2018

A proposta de transferir o horário das sessões plenárias da Câmara Municipal de Fortaleza para o turno da tarde vem dividindo os líderes de bancadas da Casa. De acordo com parlamentares, as divergências são grandes dentro de suas próprias bases. O tema deve voltar a ser debatido pelos parlamentares na próxima reunião do Colégio de Líderes - que reúne a Mesa Diretora e os líderes das bancadas -, prevista para o começo de abril.

Há quem defenda que já há consenso para a aprovação da matéria, como Eron Moreira (PP). De acordo com ele, a reunião que debateu o assunto no começo deste mês teve grande apoio à aprovação da matéria. "Foi quase um consenso", diz. Segundo ele, a expectativa é de que, caso aprovada, a mudança seja implementada neste ano.

> Deputados estão envolvidos com suas reeleições

Já o líder da bancada do PR, Márcio Martins, não sente tanta firmeza na Casa em relação à mudança. "A gente percebe um certo equilíbrio", declara. Ele - que se diz indiferente à proposta, pedindo apenas que as eventuais sessões vespertinas não se estendam pela noite - afirma que, dentro de sua bancada, há defensores da mudança e da manutenção do horário na parte da manhã. "E isso é algo que vou levar para a reunião do Colégio de Líderes".

Já de acordo com Iraguassú Filho, líder da maior bancada da Casa, a do PDT, a decisão, provavelmente, não caberá apenas aos líderes. "Isso com certeza será deliberado ouvindo todos os 43 vereadores", afirma. Ele diz que ainda não debateu o assunto com seus liderados e afirma que aguarda dados que devem ser apresentados pela Mesa Diretora na próxima reunião. "Queremos amadurecer mais", declara. O trabalhista, pessoalmente, diz ser indiferente à mudança. "O importante é que se melhore a participação da população ou dos parlamentares".

O líder governista na Casa, Ésio Feitosa (PPL), é um dos que se declaram contrários à medida. Ele disse, no começo do mês, que chegou a simpatizar com a ideia, mas se opôs após refletir melhor. "Efetivamente, a Casa teria que suportar, do ponto de vista dos servidores, um ônus relativamente alto".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.