Antes e depois da condenação

Manifestantes pró e contra Lula vão às ruas da Capital

Apoiadores do petista se reuniram no Centro, enquanto um grupo favorável à condenação esteve na Aldeota

01:00 · 25.01.2018 por Márcio Dornelles/Cadu Freitas - Repórteres
Image-1-Artigo-2354354-1
No Centro, apoiadores do petista foram à Praça da Justiça Federal pela manhã, durante o julgamento ( Foto: José Leomar )
Image-0-Artigo-2354354-1
Palco de protestos a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, a Praça Portugal recebeu, na noite de ontem, manifestantes que comemoraram a manutenção da condenação de Lula após o julgamento do TRF-4 ( FOTO: kLEBER A. GONÇALVES )

Antes e depois do resultado do julgamento do ex-presidente Lula (PT) no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), apoiadores da candidatura do petista em 2018 e pessoas favoráveis à sentença contra ele foram às ruas, ontem, em manifestações ocorridas em dois bairros de Fortaleza. Os desembargadores que julgaram apelação do ex-presidente à condenação proferida pelo juiz Sérgio Moro em primeira instância determinaram, na tarde de ontem, em Porto Alegre, a manutenção da condenação e o aumento da pena de Lula pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá (SP).

> Caravanas marcam atos no Interior

Pela manhã, a Praça da Justiça, no Centro da Capital, reuniu entre 2.500 e 3 mil manifestantes, segundo estimativa da direção estadual do PT, em ato de apoio ao ex-presidente enquanto ocorria o julgamento no TRF-4. A movimentação ficou mais intensa a partir das 8h, com a chegada de grupos de apoiadores com camisas, cartazes e faixas contra a condenação. Houve distribuição de cartilhas e até máscaras com o rosto de Lula.

Entidades de classe, siglas aliadas ao PT, parlamentares e lideranças de movimentos sociais marcaram presença em frente ao prédio da Justiça Federal no Ceará, na Rua Pedro I. Uma caminhada até a Praça do Ferreira estava prevista para a tarde, mas foi cancelada porque, segundo organizadores, a chuva dispersou participantes no fim da manhã.

Na praça, os gritos de ordem foram puxados pelos organizadores do evento, entre eles, o presidente do PT Ceará, Francisco de Assis Diniz. Segundo ele, o PT, após ter ido "às lonas", tem conseguido recuperar credibilidade nos últimos dois anos. "Nós mostramos, nesta reação, um diálogo muito transparente. O PT sai muito fortalecido. Vamos com o plano de Lula para recorrer no Supremo (STF), no TSE, no STJ. Onde tiver, vamos recorrer", argumentou o dirigente ao Diário do Nordeste.

O vereador de Fortaleza Acrísio Sena fez coro ao discurso do presidente estadual da legenda. "O partido sairá fortalecido, para voltar de novo à luta pela Reforma Agrária, contra a Reforma da Previdência", afirmou, antes do resultado do julgamento.

O deputado estadual Elmano de Freitas se manifestou sobre o que chamou de "injustiça" e "perseguição política" com vistas à disputa à Presidência da República. "A elite do País não quer deixar que o operário volte a ser presidente do Brasil", disse Elmano, confirmando para hoje (25) uma reunião em São Paulo com parlamentares e dirigentes do partido para o lançamento da pré-candidatura de Lula.

No palanque, partidos aliados chegaram a ser citados, como PSB e PDT, mas coube ao PCdoB o apoio mais forte ao PT. O presidente estadual da agremiação, Luís Carlos Paes, e o deputado federal Chico Lopes fizeram uso da palavra. Defenderam Luiz Inácio Lula da Silva e criticaram o governo de Michel Temer, a partir de medidas que, nas palavras dos comunistas, retiraram direitos dos trabalhadores. Estudantes e professores também foram ao ato.

Comemoração

Distante dali, na Praça Portugal, no bairro Aldeota, cerca de 50 manifestantes se reuniram na noite de ontem para comemorar a condenação do ex-presidente. O encontro foi marcado por quatro entidades políticas: o Movimento Brasil Livre (MBL), Movimento Direita Ceará, Instituto Democracia e Ética (IDE) e Movimento Endireita Fortaleza. Segundo organizadores, o evento possuía caráter espontâneo.

Alguns marcaram às 18h, outros às 19h; teve até quem chegou às 16h. Independentemente do desencontro, o público escasso bradou palavras de ordem no local e chamou atenção do trânsito intenso de fim de tarde da Avenida Dom Luís.

Na praça, os manifestantes estenderam uma faixa com os dizeres "Lula na cadeia", tentaram colocar fogo em uma bandeira do PT e enalteceram o nome do presidenciável Jair Bolsonaro como opção para o pleito deste ano. Segundo o integrante do Endireita Fortaleza, Edilson Machado, a condenação do Lula é um sinal de "esperança no Brasil". "Podemos estender essa esperança para a prisão posterior do Aécio Neves, do Renan Calheiros que, infelizmente, estão acobertados pelo foro privilegiado, e que queremos derrubar".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.