pr no governo

Gorete vence. O partido sai do campo da oposição no CE

01:00 · 23.02.2018
Image-0-Artigo-2366299-1
A deputada Fernanda Pessoa foi muito requisitada, ontem, na Assembleia, para falar sobre seu novo partido, mas nada adiantou aos colegas ( FOTO: SAULO ROBERTO )

A deputada Gorete Pereira ganhou a disputa com Roberto Pessoa, vice-prefeito do Município de Maracanaú, pelo comando estadual do Partido da República (PR) do Ceará. Até então como oposição ao Governo do Estado, o PR, a partir de agora, passa a integrar a base de apoio ao governador Camilo Santana. Roberto Pessoa e seus liderados vão se filiar a outra agremiação.

Até o fim da tarde de ontem, segundo informou Gorete, as negociações em torno de seu nome na presidência do partido estavam em 80%, mas não estava fechado o restante da direção do partido. No mesmo momento, o grupo político liderado por Roberto Pessoa já dava como certo que teria que procurar outra legenda para se acomodar.

"Eu não estou traindo ninguém, estou no meu partido e quem está saindo são eles. Quem traiu o partido foi o Capitão Wagner, que fez aquela reunião grande na Assembleia querendo ir para o PROS e agora quer voltar", apontou a parlamentar. Segundo disse, Lúcio Alcântara "entregou" o partido, e ela, pelos mais de 20 anos filiada à legenda, vai comandar o grêmio a partir de agora.

"Nunca faltei com o meu partido e estou pedindo a Deus que o Roberto, que eu tenho como um irmão, compreenda que o momento agora é para que o partido fique comigo. Eu nunca criei problema algum no partido, e essa é a primeira vez que devo dirigir o PR", afirmou à reportagem do Diário do Nordeste.

Roberto Pessoa, por sua vez, disse que o "plano A" ainda não havia sido descartado. No entanto, conforme a deputada Fernanda Pessoa afirmou, o sentimento no grupo político deles é que não havia mais como alterar a situação.

Amizade

Apesar de Capitão Wagner ter passado dois dias em Brasília em busca de tentar convencer o partido, não houve avanço nas tratativas feitas. Informações dão conta, inclusive, que o parlamentar sequer havia sido recebido pela cúpula do partido. Ele próprio deixou implícita essa situação, ontem, de Brasília.

Wagner, antes, já havia negociado o seu ingresso no PROS, para onde Roberto Pessoa não vai. Questionado sobre qual será o caminho a ser tomado, o vice-prefeito de Maracanaú afirmou que não dá para ser correligionário da parlamentar em um partido aliado da gestão Camilo Santana. "O caminho é a gente alojar as pessoas que nos acompanharem em outro partido". De acordo com Pessoa, apesar de agora ser uma "adversária política", ele quer manter a amizade com a deputada em quem votou em várias oportunidades, a partir de Maracanaú.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.