lagoas da capital

Emenda ao Código da Cidade em debate na Câmara

Acordo garantirá a preservação das lagoas existentes em Fortaleza, segundo argumenta o autor da ideia

O vereador Acrísio Sena diz ter negociado com a base governista para a aprovação de sua emenda que preserva as lagoas ( Foto: José Leomar )
01:00 · 21.03.2018

O estado de preservação das lagoas de Fortaleza foi tema de debate na manhã de ontem (20), durante a sessão plenária da Câmara Municipal de Fortaleza. De acordo com os parlamentares, diversas delas precisam passar por um processo de revitalização e urbanização, garantindo à população dos arredores um ambientes saudável.

O primeiro a levar o tema para a tribuna da Casa foi Acrísio Sena (PT). Ele anunciou que apresentaria, em segunda discussão, uma proposta de emenda ao Código da Cidade - previsto para ser votado neste semestre e do qual o petista é relator- convertendo as lagoas remanescentes da Capital em Áreas de Preservação Permanente (APPs). "São lagoas que ainda sobrevivem com muita dificuldade", declarou. Para ele, a medida traria benefícios não apenas ambientais ou urbanísticos, mas também econômicos. "Se forem requalificadas, há um potencial de turismo, economia solidária, de agricultura urbana", disse.

O petista declarou ser preciso evitar o que aconteceu com outras lagoas de Fortaleza, que teriam sido destruídas pelo avanço do processo de urbanização. Ele citou o exemplo da Lagoa do Genibaú. "Quando eu era criança e morava lá no Antônio Bezerra, pescava peixe-beta por lá, tomava banho. Era uma lagoa boa, mas hoje é um esgoto", relatou. Sena disse que o Executivo - que tem o apoio da maioria dos vereadores da Casa - já demonstrou apoio à emenda dele. Entre os signatários do texto, estão inclusive o líder do Governo, Ésio Feitosa (PPL), e o vice-líder Renan Colares (PDT). "O governo disse que era uma boa ideia", afirmou. Para o petista, a emenda é uma "das maiores contribuições que podemos dar (ao Código da Cidade)", defendeu.

Outro parlamentar que também tratou da questão das lagoas foi Eron Moreira (PP). O vereador focou seu pronunciamento na situação do bairro Luciano Cavalcante. De acordo com ele, a recuperação do espaço é uma demanda da comunidade do bairro. Ele afirmou ter relatório de um técnico ambiental apontando que o espaço deve ser preservado, já tendo apresentado o documento à secretária municipal de Urbanismo e Meio Ambiente, Águeda Muniz, que teria apoiado a ideia de recuperar e conversar sobre o espaço.

Zeza

Atualmente, de acordo com o pepista, a região "está totalmente abandonada e exposta à ocupação desordenada". Como exemplo, ele citou o acúmulo de lixo nas cercanias do equipamento, que o parlamentar propõe que seja enfrentado com a instalação de um Ecoponto.

Já a vereadora Larissa Gaspar (PPL) usou a tribuna para defender um esforço de requalificação da Lagoa do Zeza, no bairro Jardim das Oliveiras. A parlamentar afirmou que as margens do espaço estão sendo ocupadas irregularmente. Ela conseguiu aprovar ontem um projeto de indicação -que não tem força de lei - determinando a retomada do processo de urbanização.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.