reclamações

Deputados que tentarão reeleição estão bem preocupados

01:00 · 15.05.2018

O clima de disputa entre os deputados que tentarão reeleição neste ano passou a ser motivo de reclamação na tribuna da Assembleia Legislativa. Já há mais de um ano, parlamentares da Casa realizam incursões por diversos municípios cearenses e, vez por outra, levam à tribuna da Casa críticas ao que eles chamam de "invasão" de seus redutos por pretensos candidatos.

O presidente do Legislativo, deputado Zezinho Albuquerque (PDT), já afirmou que pouco poderá ser feito com relação aos assuntos que são levados à tribuna, mas destacou que é necessário que seus pares atuem de forma a não prejudicar o andamentos dos trabalhos na Casa.

Os debates sobre temas locais, referentes a atuações municipalistas, têm sido recorrentes na Casa e vão ser intensificados, como os próprios parlamentares relatam, sobretudo em três dias da semana. Às segundas-feiras não há sessão e as sessões das sextas-feiras praticamente não estão mais acontecendo. Quando acontecem, são realizadas com dois ou três deputados se revezando nos mesmos temas.

Alguns pré-candidatos, dos que mais incomodam os atuais, têm utilizado as redes sociais para divulgar suas pretensões às eleições deste ano, inclusive fazendo algumas promessas.

Alguns deputados, a exemplo do que foi proferido na tribuna na semana passada, reivindicam uma ação mais enérgica por parte do Ministério Público para coibir ações que entendem ser infrações. De acordo com Fernando Hugo (PP), a "campanha antecipada" e abuso de poder econômicos são duas das irregularidades mais percebidas por ele nos últimos meses.

"O Ministério Público Eleitoral e o Tribunal Regional Eleitoral estão sendo omissos nesses casos, estão sendo coniventes. Não realizam ações para ver que alguns candidatos estão há um ano com gastos milionários, caracterizando crime eleitoral, abuso de poder econômico e outros crimes", relatou.

Segundo ele, na própria Capital há casos que não estão sendo averiguados pelo Ministério Público Eleitoral. "São pessoas que nunca deram um bom dia ao povo, e isso nas barbas do Ministério Público Eleitoral". Para ele, o pleito de 2018 entrará para a história como aquele que terá o "maior Caixa Dois de todos os tempos no Brasil". "Eles contratam cabos eleitorais, vereadores e suplentes, prefeitos, líderes comunitários, para serem eleitos".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.