Trocar de nome

Deputados não esperam mudança

01:00 · 12.09.2017

Pelo menos oito partidos políticos no Brasil querem mudar suas denominações, visto o desgaste que as agremiações partidárias têm enfrentado nos últimos anos por envolvimento de filiados em casos de corrupção. Para os membros dessas legendas no Ceará, pouco será alterado caso não haja mudança dos "atores" da política brasileira e de condutas ilícitas.

O PTN, até o momento, foi o único partido que já fez a transição e agora atende pela legenda de Podemos. No Ceará, há uma disputa interna pelo comando da legenda, que pode ter o deputado federal Cabo Sabino (hoje no PR) como um de seus principais representantes. Apesar de ser uma das últimas prioridades do grêmio, o DEM estuda mudar para Centro Democrático.

O Partido Ecológico Nacional (PEN), nascido em 2012, após ingresso do deputado federal Jair Bolsonaro, pode mudar o nome para Patriotas. O PTdoB quer se chamar Avante e o PSDC estuda se chamar Democracia Cristã. O Partido Social Liberal (PSL) passará a se chamar Livres e o PMDB quer tirar o "P" e voltar a sua legenda da época de ditadura, quando se chamava Movimento Democrático Brasileiro. Já o Partido Progressista estuda tornar-se apenas "Progressista".

Para o presidente do Legislativo do Ceará, deputado Zezinho Albuquerque (PDT), a mudança dos nomes pouco deve influenciar no voto dado pela população, uma vez que a prática demonstra que o eleitorado pouco vota em partido.

Sem alteração

Membro do PP na Assembleia, Fernando Hugo afirmou que há uma degeneração completa na vida pública, em especial a política, e que mudar nome de partido não traria significado proveitoso nenhum para o País. "Se os 'proprietários de partidos' mudarem os nomes, mas não mudarem os atores, quase todos viciados, não haverá mudança nenhuma na vida política eleitoral e partidária", afirma.

Integrante da bancada do PMDB no Legislativo, Leonardo Araújo disse, por outro lado, que retornar à sigla MDB é uma caracterização de retorno de luta pela democracia. Para Leonardo Pinheiro (PP), é preciso que haja mudança de condutas e reforma pragmática, pois, do contrário, nada será alterado. "Essa mudança de nome é apenas uma questão semântica, mas esperamos que a partir disso traga renovação política, dando condições também à renovação de lideranças", disse.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.