dia do basta

Deputado fala da mobilização

01:00 · 09.08.2018

A paralisação nacional, divulgada como o "Dia do Basta", convocada pelas centrais sindicais para amanhã (10), contra medidas adotadas pelo Governo Federal, foi reforçada, ontem, na Assembleia Legislativa. O deputado Manoel Santana (PT) defendeu, durante discurso na tribuna, que a data servirá para chamar a atenção sobre a elaboração do Orçamento de 2019 de municípios, estados e, principalmente, da União, e pedir que os recursos destinados para políticas sociais sejam priorizados.

Uma das pautas a ser reivindicada pelo movimento, segundo o petista, é a construção de moradias para famílias de baixa renda no País. "A questão da moradia termina influenciando em tudo na vida das pessoas, inclusive, na qualidade de saúde, que aqueles que moram, precariamente, jamais poderão ter uma saúde boa. Os grandes grupos do capital financeiro estão controlando esse Orçamento que serve pra manter as suas grandes fortunas, com a cobrança de taxas e mais taxas do Governo Federal, fazendo com que o povo fique cada vez mais pobre", avaliou.

Para o parlamentar, a Reforma Trabalhista teve como único objetivo "baratear o valor do trabalho do operário, da operária, dos trabalhadores e aumentar assim o lucro da elite financeira desse País". Santana frisou que falta trabalho para mais de 28 milhões de brasileiros entre os que estão desempregados e subocupados (pessoas que trabalham menos de 40 horas por semana).

Além da cobrança por moradia, Santana destacou que uma das principais lutas encampadas pelas centrais sindicais, na sexta-feira, será pelo emprego. "Revogar todos os aspectos negativos da dita Reforma Trabalhista, renovar para o próximo quadriênio a política de valorização do salário mínimo. Fortalecer o Sistema Único de Saúde (SUS), garantindo o funcionamento pleno da atenção básica e todos os postos de saúde.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.