Coluna

Paulo Cesar Norões: pesquisadores em campo

pc

Paulo Cesar Norões

Colunista de Política • pcnoroes@diariodonordeste.com.br

01:00 · 12.04.2018

Lula está preso e inelegível por conta da Lei da Ficha Limpa. Porém, o PT promete manter sua candidatura viva até onde der. Então, queiram ou não, o líder petista fará parte do cenário eleitoral. Ainda mais por ter liderado, até aqui, todas as pesquisas de intenção de voto. Nesse sentido, a próxima pesquisa Datafolha - pesquisadores já estão em campo desde ontem - incluiu o ex-presidente entre 22 pré-candidatos já conhecidos. Lula será avaliado em alguns cenários. Será que a prisão já influiu nas intenções de voto nele? E, uma pergunta que interessa a muita gente: Quem, entre os candidatos de esquerda, Lula deve apoiar se não puder concorrer: Ciro, Haddad, Boulos, Manuela D'Ávila ou Jacques Wagner? Respostas que provavelmente teremos no fim de semana, quando a pesquisa for divulgada.

Novo Código

Já está com o deputado Danilo Forte (PSDB), documento de 223 páginas elaborado pelo relator do projeto de lei que cria o novo Código de Processo Penal do Brasil, deputado João Campos (PRB-TO). "Vamos votar o substitutivo na próxima semana para conseguir concluir os trabalhos e entregar para os brasileiros um novo CPP até fim do semestre", afirmou Danilo. O atual Código está em vigor desde 1941.

Mérito

Justiça se faça ao empenho do deputado cearense. A proposta de reforma do Código de Processo Penal foi aprovada pelo Senado em 2010. Foi enviada para a Câmara e ficou engavetada até 2016, quando Danilo Forte assumiu a presidência da Comissão Especial e botou para andar e fez debates pelo Brasil com magistrados, membros do Ministério Público e outros juristas.

ADI

Deputado federal Cabo Sabino (Avante) levou para o STF pauta de seus companheiros de farda. Está nas mãos do ministro Marco Aurélio Ação Direta de Inconstitucionalidade contra a lei que criou a Controladoria Geral dos Órgãos de Disciplina. Para Sabino, a CGD do Ceará, por exemplo, comete "abusos" e "intimida as ações dos profissionais da Segurança Pública".

Quem pagou?

Ferrenho opositor do governo estadual, deputado Heitor Férrer (SD) não perde uma chance de pegar no pé de Camilo Santana. Ontem, Heitor apresentou requerimento na Assembleia Legislativa para saber se as viagens do governador para São Paulo e Curitiba, para se solidarizar com o ex-presidente Lula, foram pagas com dinheiro público. "Para dar uma satisfação à sociedade", justifica Heitor.

"Inspeção"

Comissão de Direitos Humanos do Senado deu um jeitinho de driblar a restrição de visitas a Lula somente a familiares e advogados do ex-presidente. Senadores aprovaram requerimento de Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), para uma diligência na sede da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. Ao menos dez senadores de partidos de esquerda farão a "inspeção" do prédio.

"A intenção é promover um verdadeiro 'revogaço' e abolir uma série de leis que não servem mais à sociedade"

Paulo Martins (PRTB), vereador de Fortaleza, sobre projeto dele para revogar leis antigas e já ultrapassadas. PLO aguarda parecer na Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa

Tem mais...

Mais campos

Prefeito Roberto Cláudio e o governador Camilo Santana anunciam hoje a construção de mais 16 areninhas em Fortaleza. A primeira delas no Sítio Córrego, no Mondubim, onde será feito o anúncio.

Na terrinha

Agenda do presidenciável Ciro Gomes começa hoje pela Rádio Verdes Mares, onde dá entrevista ao Programa Paulo Oliveira. Às 18h, Ciro estará na Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza. Vai falar para os empresários sobre o atual cenário econômico e a atividade empresarial.

Mudou

Após 30 anos no PT, advogado e professor de Direito da UFC, Marcos Colares, deixa o partido e filia-se ao PCdoB. Será candidato a deputado federal. Colares é uma figura histórica da esquerda cearense, atuante na área dos Direitos Humanos.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.