Coluna

Paulo Cesar Norões: O desafio do senador

pc

Paulo Cesar Norões

Colunista de Política • pcnoroes@diariodonordeste.com.br

01:00 · 22.03.2018

Não é surpresa Tasso Jereissati na coordenação da campanha de Geraldo Alckmin. Semana passada, neste espaço, comentamos a indisposição do senador para encarar uma eleição para governador, preferindo focar na campanha presidencial tucana. Isso foi sinalizado desde o momento em que Tasso aceitou presidir o Instituto Teotônio Vilella, órgão responsável por zelar pelos princípios da social-democracia e discutir e formular as políticas que norteiam a atuação dos tucanos, tanto no Executivo como no Legislativo. Além disso, Tasso tem experiência, fez esse mesmo trabalho na campanha de FHC, em 1994. Quer dizer que ele vai ficar distante da política local? Não. Se é dele a responsabilidade de costurar apoios e alianças, naturalmente isso passa por um palanque forte no Ceará. Só não com ele candidato a governador.

Esverdeou

Célio Studart deixou o Solidariedade para assumir o comando, no Ceará, do Partido Verde. Na troca está embutida, também, provável candidatura a deputado federal. Não seria a primeira vez. Studart já experimentou uma tentativa de chegar à Câmara Federal, em 2014. Teve quase 30 mil votos, surpreendente para alguém desconhecido. Dois anos depois, se elegeu vereador de Fortaleza como o mais votado, com 38 mil votos.

Suprema tensão

Vendo ministros do STF, cidadãos que se pressupõe de conduta ilibada e alto preparo intelectual, transformarem uma sessão plenária em um bate boca de ordem pessoal, é que a gente percebe o grau de intolerância a que chegou a nossa sociedade. Se é assim na Suprema Corte, que dirá numa discussão entre cidadãos comuns, no trânsito ou numa mesa de bar? Está difícil...

Deve mudar

Partido Popular Socialista, que já foi Partido Comunista Brasileiro (PCB - o velho 'pecebão') e, desde 1992, adota a sigla PPS, pode mudar de nome outra vez. Informação é do colunista Lauro Jardim, de O Globo. Segundo ele, a mudança, que deve estar concretizada em três meses, será decidida no congresso do partido, domingo, por iniciativa do presidente da legenda, Roberto Freire.

No Senado

Articulação liderada pelos senadores José Pimentel e Armando Monteiro (PTB-PE) manteve a atual área de atuação da Sudene. Aécio Neves (PSDB-MG) queria incluir mais 81 municípios de Minas Gerais e Espírito Santo, mas foi derrotado na CCJ. Para Pimentel, seria dividir ainda mais os poucos recursos, numa região que precisa de mais investimentos. Texto final será relatado por ele.

Bendita verba

Prefeito do Crato, Zé Ailton Brasil, se mandou para Brasília e conseguiu recuperar R$ 2,5 milhões que o Ministério da Saúde havia destinado ao município e a administração anterior não usou dentro do prazo. O dinheiro, que antes seria aplicado em reforma de postos de saúde, agora virá como verba de custeio. Já a reforma dos postos será feita com recursos próprios da Prefeitura, garante Brasil.

"Ao invés de ficar tirando de quem já não tem, deveríamos fazer uma discussão mais aprofundada".

José Pimentel, senador (PT-CE), sobre tentativa de Aécio Neves de incluir municípios mineiros e capixabas na área de atuação da Sudene.

Tem mais...

Não teve Apagão de ontem, que deixou parte do Brasil às escuras, obrigou a Fiec a cancelar a palestra do pré-candidato a presidente do Podemos, Álvaro Dias, que seria ontem à noite.

Homenagem Assembleia Legislativa fará sessão solene amanhã, 15h, pelos 60 anos de fundação do Cineteatro São Luiz. Requerimento foi da deputada Rachel Marques (PT).

Aproveitando Hoje, Dia da Água, deputado Leonardo Araujo (MDB) quer rediscutir projetos de indicação dele, aprovados pela Assembleia e enviados ao governador.

Aproveitando 2 Leonardo quer a sanção de Camilo aos projetos, que versam sobre o reaproveitamento e uso consciente da água em obras e prédios públicos do Estado.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.