coluna

Paulo Cesar Norões: Não dá para recuar mais

pc

Paulo Cesar Norões

Colunista de Política • pcnoroes@diariodonordeste.com.br

01:00 · 26.03.2018

Lamentáveis episódios do fim de semana definitivamente puseram em estado de guerra o chamado crime organizado e o Estado. Bandidos tentam intimidar o governador Camilo Santana, obrigando-o a recuar na disposição de instalar bloqueadores de celular nos presídios cearenses. Segundo Camilo, "não vamos arredar um milímetro para garantir mais tranquilidade para o povo de Fortaleza e do Ceará". Disposição materializada na ação contundente da PM na contenção ao ataque contra a Secretaria de Justiça, que terminou com de três bandidos mortos. A resposta veio com a depredação de prédios públicos e ônibus incendiados. Sinal de que o crime não vai recuar. Assim como o Governo não pode também recuar, sob pena de ser desmoralizado definitivamente. É hora de mostrar quem manda.

Inteligência

Frustração da tentativa de ataque à Secretaria de Justiça só foi possível graças ao setor de inteligência, que descobriu a intenção dos bandidos e surpreendeu-os com um esquema preventivo. Não é a invenção da roda, a inteligência é fator decisivo em estratégias de segurança. Ao governador, que tem investido pesado na PM, resta redobrar esforços na reestruturação da Polícia Civil, visivelmente sucateada ao longo do tempo.

Constrangidos

Não são só políticos denunciados em casos de corrupção que temem constrangimentos em locais públicos. Gilmar Mendes já andou sofrendo assédio de populares contrários aos seus posicionamentos no STF. Outros ministros estão tendo o cuidado de entrar em aeroportos por portas laterais e embarcar longe do olhar dos demais passageiros. É o preço da superexposição nas telinhas.

Incoerência?

Governistas na Câmara Federal têm criticado o deputado José Guimarães (PT). Líder da oposição, ele ataca o governo Temer em Plenário, mas, ao mesmo tempo, participa das solenidades de liberação de verbas federais para o governo Camilo, pelo interior. Guimarães diz que seu discurso "é contra o golpe, a intervenção no Rio de Janeiro e em apoio ao Lula", mais nada.

Giro europeu

Presidenciável Ciro Gomes está na Europa, onde participa de debates. O ciclo começou sábado, no Fórum Brasil-Espanha, em Barcelona. Hoje, o debate é na Universidade de Montpellier, na França; amanhã na Universidade Sussex, em Brighton, na Inglaterra; e, na quarta-feira, na tradicional Sorbonne, em Paris. Os debates são transmitidos ao vivo no Facebook do pré-candidato.

Será?

Embora publicamente não alimente especulações, Cid Gomes dá sinais de que pode desistir, mesmo, da disputa por uma cadeira no Senado da República. Lhe atrai muito mais coordenar a campanha presidencial do irmão - ele, inclusive, acompanha Ciro no ciclo de debates em universidades europeias. Se desistir mesmo, Cid abriria caminho para a candidatura de André Figueiredo ao Senado.

"Voto nele, claro. O panorama ainda está indefinido, mas não há a menor chance do meu voto não ser dele."

Patrícia Pilar, ao O Globo, confirmando voto em Ciro Gomes. A atriz atribui a famosa frase de Ciro, em 2002, quando eram casados e ele disse que o papel dela na campanha era dormir com ele, à irritação com jornalistas. "Convivi 17 anos com ele e ele nunca foi machista", afirmou.

Tem mais...

Big evento Cerca de 3 mil pessoas devem vir de fora para participar do Conotel, o congresso nacional dos hoteleiros do Brasil, que acontece de 16 a 18 de maio, no Centro de Eventos.

Big evento 2 Além dos congressistas, virão mais de 70 jornalistas cobrir o evento, além de palestrantes internacionais. Prova da força e prestígio do cearense Manoel Cardoso Linhares, presidente nacional da ABIH.

Efetividade "O Ceará não tem mais magistrados que trabalham apenas de terça a quinta. Nossos juízes estão realizando o seu mister de segunda a sexta". Palavras do corregedor-geral da Justiça, Francisco Darival Beserra Primo, em encontro nacional de corregedores-gerais, em Belém.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.