coluna

Paulo César Norões: Ciro define caminho

pc

Paulo Cesar Norões

Colunista de Política • pcnoroes@diariodonordeste.com.br

01:00 · 13.09.2018

Ciro bateu duro no PT, em Bolsonaro e até em militares. Mas, dessa vez ficou claro que não se trata de destempero. A fala foi bem pensada e com objetivo bem definido. De uma só vez, ele elege seus dois alvos. Com Haddad briga pelos votos do campo da esquerda, mas não só. "Sou mais largo que ele", afirmou, lembrando que fala também pro eleitor de centro que porventura não aceite votar nem na direita e nem no PT. Repare que em nenhum momento Ciro bate em Marina, que também disputa votos no mesmo campo. Acredita que, com ela em queda nas pesquisas, possa, ele, herdar seus votos ainda no primeiro turno - o chamado voto útil. E as críticas a Bolsonaro? Estratégia. Ciro sabe que não tira votos do capitão. O foco é outro, ser a opção de quem é contra ele e se colocar como o que tem maiores chances de derrotá-lo no 2º turno.

Força

Image-0-Artigo-2452309-1

Ideias de Ciro Gomes conquistaram a Força Sindical, UGT (União Geral dos Trabalhadores), CSB (Central de Sindicatos Brasileiros) e Nova Central. As quatro centrais farão ato em São Paulo, nos próximos dias, para marcar o apoio. Uma delas, a Força Sindical, é presidida por Paulinho da Força, que preside também o Solidariedade, partido da coligação do tucano Alckmin. Paulinho foi vice de Ciro na eleição de 2002.

Liderança

Eunício Oliveira ganhou apoio importante para sua campanha. Vereador Salmito Filho reuniu mais de 30 vereadores, suplentes e ex-vereadores da Capital, que declararam voto e empenho para reeleger o senador emedebista. "Seu trabalho em benefício de Fortaleza e de todo o Ceará nos obriga a ter esse posicionamento", justificou o presidente da Câmara Municipal.

Mundo novo

Afeito à disciplina dos quartéis, General Theóphilo confessa que não ainda não se acostumou totalmente ao mundo político. "No Exército pau é pau, pedra é pedra. Na política, nem sempre, é outro mundo", revela o candidato tucano ao Governo. Diz que está aprendendo bastante com o senador Tasso Jereissati, que passou por problema semelhante quando se candidatou pela primeira vez.

Collor X Calheiros

Clima quente em Alagoas. Senador Collor de Melo, que insinuou tentar retorno à presidência da República (tem mais 4 anos de mandato), quer voltar ao Governo do Estado num enfrentamento com o filho do igualmente poderoso (lá) senador Renan Calheiros. Candidato à reeleição, Renan Filho aparece com 46% das intenções de voto, no Ibope. Collor tem 22% e tem procurado encostar.

Início de leve

STF tem novo presidente a partir de hoje. Ministro Dias Toffoli assume atuando na retranca. Já pautou alguns assuntos para os próximos dias, todos amenos e nenhuma polêmica. São assuntos relacionados ao meio ambiente. Toffoli não pretende pautar até o fim deste ano, por exemplo, ações que discutem a possibilidade de execução de pena após a condenação em segunda instância.

"Acho que é preciso haver moderação. Do contrário daqui a pouco nós podemos inclusive tumultuar o pleito eleitoral."

Gilmar Mendes, ministro do STF, preocupado com indícios de abuso de poder em denúncias contra candidatos no período eleitoral.

Tem mais...

Todo canto Saúde e violência seguem sendo a principal preocupação dos brasileiros. É o que diz a última pesquisa Datafolha. A saúde lidera a lista desde 2016, quando ultrapassou corrupção. Desemprego e educação também foram citados pelos eleitores.

No Paraná Presidente do Tribunal de Contas do Ceará, Edilberto Pontes, dará palestra no Congresso Internacional de Direito Financeiro, hoje e amanhã, em Curitiba. Palestra dele encerrará a programação do primeiro dia do evento.

Chapa única Desembargadores Washington Luis Bezerra de Araújo, Maria Nailde Pinheiro Nogueira e Teodoro Silva Santos, serão, respectivamente, presidente, vice-presidente e corregedor-geral da Justiça do TJCE, a partir de 31 de janeiro de 2019. Eleição será no próximo dia 27.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.