SUCESSÃO PRESIDENCIAL

Ciro diz que a tristeza pessoal já passou

00:31 · 17.07.2010
Deputado admite ir para a campanha de Dilma se suas ideias para melhorar o País forem incorporadas ao projeto

O episódio em que o deputado federal Ciro Gomes (PSB) foi praticamente obrigado a desistir de sua candidatura à presidência da República, em março passado, é que vai balizar a atuação do parlamentar cearense nas eleições de 2010. Em entrevista, embora tenha dito já ter superado o problema, Ciro deixou claro que este é o motivo principal pelo qual não andará o País fazendo campanha para a petista Dilma Rousseff (PT).

A preocupação central, e exclusiva, como assegurou, é para a campanha do seu irmão, o governador Cid Gomes, e todos aqueles que compõem a sua chapa. Ciro relembrou, mesmo dizendo não querer voltar ao passado, que aquele episódio em que o PSB anunciou a desistência da candidatura próprio a presidência lhe fez muito mal.

Passou

"Isso que aconteceu comigo, no espaço da vida nacional me machucou profundamente, foi um momento de grande tristeza pessoal. Cheguei a negar minha própria vocação, me senti feito bobo, mas tudo isso já passou. Não sou de guardar mágoa, mas compreendo que o que importa hoje é garantir que o Ceará vá para frente", detalhou.

Ao declarar que vai votar apenas para Presidente da República, Ciro fez elogios à ex-ministra Dilma Rousseff. "Todos sabem que eu e a Dilma somos grandes companheiros. Se tem uma pessoa no PT que tinha votos para ser candidata, entre todos os militantes petistas de alta qualidade, era ela", disse.

No plano nacional "não tenho nenhuma vontade de participar do processo (campanha). Vou acompanhar meu partido, votarei para presidente, mas o nível da minha participação vai depender do nível de incorporação das minhas preocupações com o futuro do Brasil que não são poucas, nem pequenas".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.