POLÊMICA

Cid desconhece convênio da Apae

00:45 · 29.04.2008
( )
O convênio está sendo questionado por ser a sogra do governador Cid Gomes a presidente da Associação conveniada

Nem bem o governador Cid Gomes (PSB) conseguiu dar suas explicações sobre a polêmica viagem a Países europeus, à bordo de jato fretado, no início do último mês de fevereiro, mais uma vez o chefe do Executivo estadual teve de se justificar pelas ligações da sogra dele, Pauline Habib Moura, com a administração estadual. Depois de integrar a viagem oficial questionada, sem arcar com as despesas de passagens, um novo episódio a coloca no centro das discussões políticas envolvendo a administração estadual: ela é presidente de uma entidade que firmou, recentemente, convênio de R$ 2,35 milhões com o Governo administrado por Cid Gomes.

A senhora Pauline Habib é presidente da Federação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) do Ceará, e a entidade comandada por ela foi a vencedora de uma concorrência, realizada no segundo semestre de 2007, para atendimento de crianças e adolescentes em situação de risco. O projeto apresentado pela instituição que preside reúne 24 Apae´s, e será desenvolvido no atendimento a pessoas portadoras de deficiência. O convênio, e a relação da sogra com a gestão estadual, mais uma vez gerou a repercussão da mídia nacional.

Apurada

Ontem, em meio à coletiva na Assembléia Legislativa, Cid Gomes afirmou que não tinha conhecimento do convênio firmado com a entidade presidida pela sua sogra, e avisou que iria se inteirar sobre o caso. “Toda denúncia será rigorosamente apurada. Não tenho nada a esconder. Ajo na maior boa fé, e meu único interesse é respeitar a confiança que o povo cearense depositou em mim, e fazer tudo da melhor maneira possível”, afirmou.

O convênio com a Federação foi firmado pele Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS). Na semana passada, ao justificar a presença da senhora Pauline Habib à bordo do jato fretado pelo Executivo estadual, o líder do Governo Cid na Assembléia, deputado Nelson Martins (PT), revelou que a sogra de Cid trabalhava na secretaria. Conforme o governista, ela atuaria como uma espécie de “secretária” da primeira-dama, e o serviço seria “voluntário”, sem nenhuma remuneração.

Favorecimento

Ontem, ao ser questionado se não poderia ter havido favorecimento ou tráfico de influência no fato de a instituição presidida por Pauline ter firmado o convênio com o Estado, o governador lançou o desafio: “Gostaria de ser provocado se há uma irregularidade nesse ou naquele ponto”. Ao reafirmar o desconhecimento do convênio firmado, ele avisou que iria apurar todas as irregularidades que por acaso fossem comprovadas na gestão dele. “Todas as denúncias que me chegarem terão no meu Governo a mais absoluta determinação de esclarecimento. Se houver alguma denúncia ela será rigorosamente apurada, e os culpados punidos”, garantiu.

Mais uma vez Cid utilizou como argumento para aproximação da sogra com a máquina administrativa, a juventude da primeira-dama, Maria Célia Habib, e a dependência que ela tem da mãe. “Minha esposa tem apenas 27 anos, e tem uma relação absolutamente estreita com a mãe, e a mãe ajuda e está fazendo isso voluntariamente”, disse. O governador explicou que nos convênios firmados pela STDS, e pela Secretaria de Cultura, realizados através de editais, não há necessidade de licitação formal, e que, por isso, não teve conhecimento do contrato firmado com a entidade presidida pela sogra. “Eu soube dessa informação ontem (Domingo). Sinceramente eu não sabia dessa informação”, assegurou.

REPERCUSSÃO
Deputado promete mais críticas na Assembléia

O deputado Heitor Férrer (PDT) disse que a oposição será ainda mais veemente em seu discurso na Assembléia Legislativa contra a viagem que o governador Cid Gomes fez à Europa. A declaração do pedetista foi logo após a entrevista coletiva que o governador concedeu para explicar a polêmica viagem.

Para Heitor, Cid fez um ´pedido de desculpa genérico´, mas não disse se iria ressarcir ao erário os valores gastos com as passagens das pessoas que não servem ao Estado, no caso a sogra e as esposas do secretário de Turismo, Bismarck Maia e do assessor Valdir Fernandes, Gláucia Maia e Samara Dias. ´O governador não fez o essencial que é devolver o dinheiro aos cofres públicos´, destacou o pedetista.

A bancada do PSDB parece ter ficado satisfeita com as explicações do governador. Apesar da ausência dos líderes tucanos, deputados João Jaime e Tomás Figueiredo, os demais parlamentares se posicionaram contrários ao pedido.

O deputado Osmar Baquit, por exemplo, disse que Cid Gomes já esclareceu a polêmica. ´O governador já se desculpou e disse que se os órgãos de controle disserem que é para ele devolver, devolverá. Então não há mais polêmica nisso´. Para o deputado Gony Arruda ´as informações sobre essa viagem já estão todas na Assembléia, o governador já se posicionou sobre isso, portanto não há necessidade de CPI´. O mesmo posicionamento tem o deputado Fernando Hugo. O deputado Nenem Coelho disse que a bancada marcou uma reunião para tratar do assunto.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.