ELEIÇÕES

Camilo tem compromisso com PT e Lula, frisa Haddad

01:00 · 01.09.2018
CAMILO
No encerramento de caminhada no Centro, o governador Camilo Santana esteve com Fernando Haddad, candidato a vice-presidente pelo PT ( Foto: Thiago Gadelha )

O candidato a vice-presidente pelo PT, Fernando Haddad, disse ontem, em entrevista coletiva em Fortaleza, que o governador Camilo Santana, apesar da aliança local que tem com o presidenciável Ciro Gomes (PDT), teria compromisso com a sigla petista e com a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O postulante disse ter ficado “desolado” com a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que não permitiu que a defesa do ex-presidente apresentasse alegações finais à impugnação da candidatura de Lula.

> Alckmin sustenta que Nordeste é 'prioritário' 
 
Além da coletiva, ele participou, à tarde, de caminhada no Centro, cujo encerramento, à noite, contou com a presença do governador Camilo Santana, na Praça do Ferreira. No último compromisso oficial em Fortaleza, o petista teve encontro com movimentos sociais e entidades sindicais, no Benfica. Só mais tarde, a maioria dos ministros do TSE decidiu rejeitar o registro de candidatura de Lula.

Em entrevista, Haddad argumentou que está em jogo o “direito do povo eleger seu presidente”, o que, para ele, é um fundamento da democracia. “Isso nos preocupa, porque uma etapa do processo foi atropelada, queimando uma etapa importante diante da manifestação das Nações Unidas”, disse. Haddad informou que, na segunda-feira (3), estará com Lula para tratar da candidatura.

Questionado sobre a falta de um apoio mais explícito de Camilo ao presidenciável do PT, uma vez que, ainda ontem, o governador participou da inauguração do comitê de Ciro Gomes (PDT) na Capital, Haddad afirmou que, se fosse registrada a candidatura do ex-presidente, não haveria dúvida sobre o que Camilo faria. No entanto, em caso de outra candidatura petista, ele disse que é preciso conversar.

Economia

“O Camilo é do PT e tem compromisso com o partido e a candidatura do Lula, mas compreendo que ele tenha seus compromissos locais”, apontou. O petista destacou, ainda, visita que fez ao senador Eunício Oliveira (MDB), alvo de críticas por parte do eleitorado petista. Ele disse que o emedebista enviou “um recado bastante contundente” ao ex-presidente, “defendendo a reeleição do Camilo e a volta do Lula ao Planalto”.

Perguntado sobre a estagnação da economia, Haddad lembrou que o presidente Michel Temer (MDB) “abraçou” agenda “completamente diferente” da adotada pelos governos petistas. Dentre as propostas do PT para a área, está o aumento da renda dos mais pobres, segundo ele, para atingir o mercado de consumo. “Nosso objetivo é isentar impostos, baixar juros tributando banqueiros que cobram juros altos para, justamente, o crédito barato chegar aos trabalhadores. Precisamos, também, fazer investimentos públicos”. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.