Entrevistas no SVM

Camilo Santana defende ampliação de políticas

Candidato do PT à reeleição, ele abriu, ontem, série de entrevistas realizadas durante esta semana com candidatos ao Governo do Estado

01:00 · 11.09.2018 / atualizado às 02:02

O governador Camilo Santana, candidato à reeleição pelo Partido dos Trabalhadores (PT), disse que durante sua gestão não recebeu um centavo sequer do Governo Federal para a área da Segurança Pública. O petista visitou o Sistema Verdes Mares (SVM), ontem, quando participou de entrevistas sobre propostas para eventual segundo mandato, caso seja reeleito. 

> Insatisfação de Camilo com o PT 

O postulante afirmou que todos os investimentos feitos na área foram oriundos de recursos próprios do Estado, que permitiram contratação de pessoal e ampliação de equipamentos em diversos municípios do Ceará. “Eu não recebi um centavo, em três anos, oito meses e 11 dias, do Governo Federal para a Secretaria de Segurança Pública. Tudo o que tenho feito é com recursos próprios do Estado. Estamos enfrentando as facções criminosas e nossa determinação é não arredar um milímetro no combate ao crime aqui no Ceará”, enfatizou.

O candidato foi abriu uma série de entrevistas realizadas durante esta semana pela TV Verdes Mares e pela TV Diário com todos os postulantes ao Governo do Estado. De terça a sexta, também serão entrevistados Ailton Lopes (PSOL), General Theophilo (PSDB), Francisco Gonzaga (PSTU) e Hélio Góis (PSL) . Ainda em entrevista, Camilo destacou os investimentos que devem ser feitos nas áreas de Saúde, Educação, Infraestrutura, além da geração de emprego. 
 
O petista afirmou que, durante seu primeiro mandato, assumiu o compromisso de tratar a questão da Segurança como prioridade e, por isso, já em 2015, criou um comitê que pudesse construir um pacto envolvendo toda a sociedade cearense. “Demos um bom exemplo na Educação e, na mesma perspectiva, iniciamos na área da Segurança e uma das primeiras ações foi a contratação de um efetivo maior para a Polícia”.
 
De acordo com Camilo, a violência é um problema nacional, visto que “o crime ultrapassou as fronteiras dos estados”. Segundo ele, não existe um plano nacional efetivo para enfrentar o problema de frente. “A violência começou em São Paulo e no Rio de Janeiro e de lá parte para todos os comandos do Brasil. O Brasil não produz armas pesadas, e isso é responsabilidade do Governo Federal, e não dos estados e municípios”, apontou. Para o governador, o problema se dá porque as leis brasileiras são “frouxas”.
 
Ele citou, por exemplo, a contratação de 9 mil agentes para a Segurança Pública nos últimos três anos, além de investimento no programa Ronda de Ações Intensivas e Ostensivas (RAIO) nos municípios com mais de 50 mil habitantes. A ideia, em um eventual novo Governo, é ampliar para as cidades com 30 mil moradores. 
 
O governador quer ainda monitorar o que ele chamou de “mobilidade do crime”, e para isso está implantando um modelo de vídeo-monitoramento envolvendo as principais instituições do Estado. “Se eu consigo monitorar o destino dos veículos, eu consigo atuar melhor”, disse ele, ressaltando ainda que ao menos 14 estados da federação já se interessaram pelo sistema em fase experimental no Estado. 
 
Em sua avaliação, ainda que o Ceará tenha passado pela crise econômica, política e de abastecimento de água, o Estado segue sendo, proporcionalmente, o que mais produz investimento público em todo o País. Sobre a polêmica dos bloqueadores de celulares em presídios, Camilo conclamou a sociedade para cobrar do Congresso Nacional que haja diante desta problemática. 
 
Saúde
 
Na área da Saúde, o petista destacou que também há ação planejada para melhorar o atendimento, destacando a rede de atendimento que foi iniciada ainda na gestão de seu antecessor, Cid Gomes. Ele citou a conclusão do Hospital de Quixeramobim e obras do Hospital da Região do Jaguaribe, como ações que podem melhorar a situação no Estado. “Eu criei o diagnóstico cidadão, e 70% dos que quem utilizam o HGF (Hospital Geral de Fortaleza) aprovam o atendimento”.
 
Citou ainda a construção do Instituo José Frota (IJF) II, em parceria com a Prefeitura de Fortaleza, que criará mais 200 leitos hospitalares para a população. “Enquanto outros estados fecharam equipamentos de Saúde, eu ampliei”, disse ele. Segundo explicou, no Ceará, 82% dos cearenses são atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o que aumentou nos últimos anos com a crise econômica e cancelamento de planos de saúde. 
 
“Compreendo que precisamos melhorar ainda mais, e me coloco à disposição do povo cearense para continuar trabalhando pela população”. Além da conclusão do IJF, Camilo Santana prometeu ainda instalar uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 horas em todos os municípios com mais de 50 mil habitantes, além de criar uma rede contendo informação de todo cidadão atendimento pelos equipamentos de saúde do Estado. 
 
A gestão de Camilo Santana tem até 64 órgãos públicos dando sustentação ao Governo. No entanto, de acordo com o governador, o Ceará é o Estado mais equilibrado do País, com menor percentual de pessoal. Ele explicou ainda que foram feitos investimentos da ordem de 13,9% da receita corrente líquida, o que permitiu que investimentos fossem feitos na Saúde, Educação e construção de rodovias. 
 
Escolas
 
Para a Educação, o candidato disse que pretende continuar ampliando a rede em tempo integral, além das escolas profissionalizantes. “São 111 escolas no Estado, sendo a segunda maior rede de ensino médio do Brasil. Queremos ampliar o programa ‘nenhum aluno fora da sala de aula’ e que a pactuação seja construída com os municípios para evitar que o aluno abandone a escola, e com isso, garantir a prevenção da violência”. 
 
Apegando-se a números favoráveis, o governador disse ainda que o Ceará tem sido o Estado que mais gera empregos no Nordeste. Segundo disse, o Centro de Conexões permitirá que Fortaleza receba até 60 voos internacionais, transformando-se em porta de entrada para o turismo na região. “Isso gera mais emprego na cidade e no Interior”, disse.
 
Ressaltou ainda parceria entre o Porto do Pecém e o Porto de Roterdã, maior porto marítimo da Europa, localizado na Holanda. O candidato destacou anda a implantação do Hub tecnológico de dados da multinacional Angola Cables, que, segundo ele, também abrirá oportunidades para os cearenses. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.