PARA 2018

Câmara aprova reajuste de 2,95% para servidores municipais

Comissão chegou a discutir emenda que pedia alteração do aumento de 2,9% para 9,42%, porém foi rejeitada

15:29 · 14.03.2018 / atualizado às 15:33
CAMARA
Com a aprovação da redação final, o reajuste já será pago no início de abril ( Foto: Silmara Cavalcante )

O reajuste dos servidores públicos da Prefeitura de Fortaleza foi aprovado, nesta quarta-feira (14), pela Câmara Municipal. O aumento para 2018 será de 2,95%. A matéria recebeu 27 votos favoráveis e 4 abstenções, com apreciação da Redação Final em sessão extraordinária.

De acordo com a matéria, a taxa tem como base a reposição da inflação correspondente ao ano de 2017, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Segundo o prefeito Roberto Cláudio, na mensagem enviada à Câmara, “a proposta apresentada procura manter o equilíbrio fiscal da Prefeitura e assegura os serviços demandados pela sociedade de Fortaleza, procurando reconhecer a importância e o compromisso com os servidores públicos municipais”.

O presidente da Casa, vereador Salmito Filho (PDT), ressaltou que se fosse possível um reajuste maior ao servidor público municipal o prefeito teria concedido. "O servidor merece um reajuste melhor, até acima da inflação, mas no momento em que o País está passando por uma crise financeira, temos que comemorar que a PMF está bem administrada e aprovando um reajuste”, destacou.

Emenda

Mais cedo, a Comissão Conjunta Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa e Comissão de Orçamento, Fiscalização e Administração Pública se reuniu para discutir sobre a emenda dos vereadores Soldado Noélio (PR) e Guilherme Sampaio (PT), que pedia alteração de reajuste salarial de 2,9% para 9,42%, sob a justificativa de que o aumento seria para repor a inflação dos anos anteriores, quando não houve reajuste salarial. A emenda recebeu parecer contrário do relator sob a justificativa de que gera impacto financeiro, tornando a aprovação inviável.

"A reposição inflacionária não está coberta por este 2,95%, era necessário 9,4% pelo menos para repor a inflação, mas infelizmente esta não foi a posição da Câmara Municipal", disse o petista. Sampaio (PT) também lamentou a forma de como a matéria foi votada. De acordo com o parlamentar, não houve tempo de discussão entre vereadores, assim como para a população se articular para a discussão.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.