comissões

Calendário de sessões é prejudicado por faltas

01:00 · 06.06.2018

Passado mais de um mês do anúncio do retorno das atividades das comissões técnicas permanentes da Assembleia Legislativa, os colegiados ainda estão tendo dificuldades para reunir seus membros. Alguns grupos já conseguiram, no entanto, realizar ao menos duas reuniões, enquanto há aqueles que ainda não realizaram seus encontros.

Devido a importância dos temas, as comissões que debatem as áreas da Saúde, Educação e da Segurança Pública devem ser mais demandadas no decorrer do ano, mas, devido ao período eleitoral que se avizinha, os trabalhos também podem ser prejudicados mais ainda. Normalmente, essas reuniões não têm feito as reuniões ordinárias e vez por outra são chamadas a ter encontro extraordinário para liberação de matérias que precisam ser votadas no plenário da Casa.

A comissão de Seguridade e Saúde, por exemplo, só se reuniu apenas uma vez de forma ordinária, após a constituição do grupo. O deputado Carlos Felipe (PCdoB), apesar de estar de licença, foi escolhido presidente da comissão. No ano passado, quando na presidência do colegiado, o parlamentar chegou a propor a realização de visitas a equipamentos públicos de saúde, o que aconteceu de forma muito reduzida.

As reuniões da comissão estão marcadas para acontecerem todas as quintas-feiras, no horário das 8:30. No encontro ocorrido no dia 10 de maio passado, sob a presidência de José Sarto (PDT), de acordo com a pauta disponível no site da Assembleia, 14 projetos foram apreciados, dentre propostas de Indicação e de Lei apresentadas por parlamentares da Casa.

Assim como na comissão de Seguridade e Saúde, a de Educação fez somente uma reunião desde o retorno dos trabalhos dos colegiados. Apenas cinco projetos de parlamentares estavam na pauta de discussão.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.