INVESTIGAÇÃO

Trio é detido após aplicar golpes

01:00 · 11.07.2018

Três pessoas foram presas suspeitas de integrarem um grupo criminoso especializado em falsificar documentos para aplicar golpes em estabelecimentos comerciais de Fortaleza. Outros dois envolvidos continuam foragidos. As prisões foram apresentadas na tarde de ontem (10), na sede do 2° DP (Aldeota).

Ao receberem uma denúncia de uma empresária, que declarou ter recebido de um casal de estelionatários cinco cheques sem fundos como pagamento de serviços que foram consumidos em uma clínica de estética. Juntos, as ordens de pagamento somavam a importância de R$ 15 mil. Uma equipe da Polícia Civil iniciou uma investigação e identificou Antônio Moreira da Silva, 55, com antecedentes por estelionato, crime contra a fé pública e organização criminosa.

Durante as buscas, realizadas no último dia 25 de abril, no bairro Bom Jardim, que objetivavam a captura do homem, apontado pelos investigadores como o principal suspeito de comandar o grupo que estava sendo denunciado, Antônio Silva fugiu. Na ocasião, ele colidiu em uma motocicleta e matou o condutor do veículo.

Ainda no local, um outro homem, identificado como João Arruda da Silva, 48, com passagens por estelionato, furto, receptação e ameaça, foi preso quando estava recebendo materiais frutos de golpes.

Os policiais civis localizaram, no bairro Lagamar, a residência de Roberto Sérgio da Costa Melo, 47, que respondia por estelionato, apropriação indébita, dano e organização criminosa. No local, foram encontrados computadores, notebooks, impressoras e documentos falsificados. Os inspetores foram informados de que o suspeito havia abandonado o local com a família.

Em um outro imóvel, no bairro Cajazeiras, foram capturados, na última quinta-feira (5), Lianna Charlene Silva de Moura, 36, com passagens por estelionato, crime contra a fé pública e organização criminosa, e o companheiro dela, identificado como Wagner de Souza, 37, com passagem por crime contra a fé pública. Com o casal, foram apreendidos cartões, cheques, máquinas de cartão e celulares. A Polícia Civil continuará investigando o caso, no intuito de capturar os dois foragidos e outros envolvidos no grupo criminoso.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.