investigação concluída

Suspeitos de matar pastor são adolescentes

Os autores do assalto, que terminou na morte do líder religioso, têm 15, 16 e 17 anos, segundo a Polícia

01:00 · 15.09.2018 / atualizado às 01:03 por Messias Borges - Repórter
CARRO CRIME
O caso aconteceu no Conjunto Ceará, em Fortaleza, na última segunda-feira (10), quando a vítima ia visitar um amigo ( Foto: Cléber Cavalcanti )
Image-0-Artigo-2453485-1
Em entrevista coletiva concedida nesta sexta-feira (14), a Polícia esclareceu a dinâmica do crime e individualizou a conduta dos adolescentes envolvidos
Image-1-Artigo-2453485-1
Antônio Wanderley de Paulo, de 50 anos, era pastor de uma igreja, em Tianguá. Ele estava em Fortaleza para participar de um encontro de religiosos

As investigações realizadas pela Polícia Civil sobre o latrocínio do pastor Antônio Wanderley de Paulo, de 50 anos, apontam para o envolvimento de três adolescentes no caso. Os autores do assalto, que terminou em morte, têm 15, 16 e 17 anos. Apenas um dos adolescentes foi apreendido; os outros dois ainda estão sendo procurados pela Polícia. O caso aconteceu no Conjunto Ceará, em Fortaleza, na última segunda-feira (10). 

> ‘Eles não pensam antes de atirar’
 
O garoto apreendido, no bairro Bonsucesso, confessou participação nos fatos, conforme informações divulgadas pela Polícia, na última sexta-feira (14). O mais velho seria o mentor do assalto e o dono da arma de fogo que disparou contra o pastor.

O adolescente mais novo teria participado da abordagem à caminhonete Toyota Hilux, dirigida por Antônio Wanderley, roubada pelo trio.

O adolescente capturado teria sido o autor do disparo, conforme a Polícia. Ele tem 16 anos. O infrator afirmou em depoimento ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) que o tiro foi acidental. O garoto já tinha passagens pela Polícia por outros homicídios e receptação.

Na 5ª Vara de Execuções da Infância e Juventude, o adolescente disse que a arma estava engatilhada, e ele teria disparado sem querer, quando foi fechar a porta da caminhonete. 

Segundo o diretor do DHPP, delegado Leonardo Barreto, o latrocínio não foi premeditado. “Não houve direcionamento. Não sabiam que ele era pastor. Simplesmente estavam transitando em um veículo, em busca de uma oportunidade de roubar algum veículo”.

Barreto revela que o trio é especializado em roubar veículos na Capital, e já é suspeito de ter participado de várias outras ocorrências deste tipo. “Temos indícios ou suspeitas, que ainda precisam ser formalizados. Mas já está caracterizado que os três tinham histórico de agir de forma integrada, sempre focados em roubar veículos”, revela.

Após matar Antônio Wanderley, os suspeitos se desfizeram da Toyota Hilux, que foi encontrada no bairro Vila Peri, e apreendida pelo Departamento de Homicídios, na última quarta-feira (12). 

Inquérito

A Polícia Civil considera as investigações do caso concluídas. Porém, dois adolescentes que participaram do latrocínio, a arma utilizada e o veículo Volkswagen Fox que deu apoio à ação ainda não foram localizados. Os suspeitos podem responder por atos infracionais análogos a latrocínio e associação criminosa.

Os investigadores ratificaram que um adulto chegou a ser detido, na última quarta-feira (12), mas foi descartado que tenha relação com o caso. Após ser ouvido, na 2ª Delegacia do DHPP, e comprovar que estava em outro local, na hora do latrocínio, ele foi liberado.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.