CASO BRUCY

Soldado do Ronda é denunciado na Justiça

01:19 · 20.08.2010
( )
Promotor corroborou com o indiciamento feito pela Polícia Civil e o PM pode pegar até 30 anos de prisão pelo homicídio

Vinte e cinco dias após a morte do adolescente Brucy Cristian de Sousa Oliveira, 14, atingido por uma bala de pistola Ponto 40 (0.40) disparada por um PM, o Ministério Público Estadual denunciou, ontem, o acusado. O soldado Yuri da Silveira Alves Batista, 25, destacado no Ronda do Quarteirão, passa agora a ser oficialmente processado na Justiça Comum. Vai responder por homicídio doloso (quando há a intenção de matar) e lesão corporal, podendo ser punido com até 30 anos de prisão, se condenado à pena máxima.

A denúncia foi oferecida, no fim da tarde de ontem, pelo promotor de Justiça Ricardo Machado, representante do Ministério Público Estadual (MPE) junto à Segunda Vara do Júri de Fortaleza. O promotor acatou todos os termos do indiciamento do militar de acordo com o inquérito presidido pelo delegado José Munguba Neto, titular do 4º DP (Pio XII).

Lesão

Além do crime de homicídio qualificado, praticado por motivo fútil e de forma que tornou impossível a defesa da vítima; o militar também foi denunciado por crime de lesão corporal contra o pai do garoto, o técnico em refrigeração Francisco das Chagas de Oliveira Sousa.

Com a denúncia do MP, a Justiça terá agora o prazo de 80 dias para concluir todo o processo e levar o réu a julgamento.

Paralelamente ao processo que vai tramitar na Vara do Júri, o soldado Yuri também está sendo ´alvo´ de outras duas apurações. Uma delas, na Justiça Militar e outra no próprio Comando da sua corporação. O Inquérito Policial Militar (IPM) pode resultar num Conselho de Disciplina que trará da possível expulsão de Yuri dos quadros da PM.

Ainda hoje, o juiz titular da Segunda Vara do Júri da Capital, Henrique Jorge Holanda da Silveira, receberá os autos para marcar a data do início da instrução criminal, fase em que a Justiça reúne provas através dos depoimentos de testemunhas e do interrogatório do réu, além da análise de peças anexadas aos autos como perícias em armas e exames cadavérico e de corpo de delito. A Justiça vai receber ainda da Perícia Forense do Estado (Pefoce) as imagens da cena do crime captadas por câmeras de um edifício próximo onde ocorreu o assassinato.

O garoto Brucy foi morto pelo soldado quando estava na garupa da moto pilotada por seu pai, na tarde de 25 de julho passado. O crime ocorreu na Aldeota durante uma ação desastrosa do PM Yuri, que tentou abordar a moto, sacou a pistola e atirou.

FERNANDO RIBEIRO/NATHÁLIA LOBO
EDITOR DE POLÍCIA/SUBEDITORA

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.