OPERAÇÃO ÊXODOS

Sete integrantes de facção capturados em Fortaleza

01:00 · 26.05.2018
Foto
A Operação ‘Êxodos’ surgiu a partir de um homicídio ocorrido em 2017, no bairro Pirambu e foi executada por quatro delegacias distintas ( Foto: Reinaldo Jorge )
Sete pessoas foram capturadas em uma operação deflagrada na última quinta-feira (24), no bairro Pirambu. O grupo é suspeito de envolvimento em crimes de tortura, homicídio, tráfico de entorpecentes, ameaças e lesão corporal. Contra um dos suspeitos havia um mandado de prisão em aberto. Três integrantes do grupo, porém, conseguiram fugir. Durante as investigações policiais, três adolescentes foram apreendidos. 

De acordo com a diretora do Departamento da Polícia Especializada (DPE) da Polícia Civil, Rena Gomes, 11 mandados de busca e apreensão foram cumpridos durante a operação ‘Êxodos’. A ação acarretou também na expedição de sete prisões temporárias e quatro mandados de busca e apreensão de adolescentes com envolvimento em organização criminosa, homicídios e tráfico de drogas. 

Conforme a diretora do DPE, os capturados atuavam na parte tática-operacional da facção criminosa, realizando execuções, roubos e tráfico de entorpecentes. Rena Gomes destacou que os líderes do grupo criminoso foram identificados, mas “ainda não foi possível capturá-los”.

A operação começou a partir de uma investigação de um homicídio, ocorrido no ano de 2017, no Pirambu, e foi realizada por equipes policiais da Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), da DHPP, da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) e do 7°DP (Pirambu) – que objetivaram identificar e, consequentemente, retirar adolescentes e jovens envolvidos em crimes ou em grupos criminosos das ruas. 

A titular da Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), Arlete Gonçalves Sobreira, ressaltou que os adolescentes apreendidos têm entre 15 e 16 anos, e haviam sido capturados em outras ocasiões. A delegada reitera ainda que os trabalhos desenvolvidos pela Especializada são baseados na proteção às pessoas e buscam acabar com as ameaças existentes em determinados lugares, referindo-se à questão de expulsões de famílias por integrantes de facções.

Segundo Arlete Sobreira, os jovens e adolescentes são quem fomentam as organizações atualmente, pois impulsionam e movem os grupos criminosos e, por isso, “são arregimentados como verdadeiros soldados das facções criminosas”.

Um dos homens já estava sendo investigado em uma operação efetuada pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco). Os três homens que estão foragidos não tiveram o nome revelado pela Polícia Civil. Os suspeitos capturados durante a operação foram identificados como Geciano Moreira de Lima, de 21 anos, que respondia pelos crimes de roubo e homicídio e estava com um mandado de prisão em aberto; André Luís Sampaio Garcia, de 18 anos, com antecedentes por tráfico de drogas; Amauri Júnior Carvalho Pereira, de 20 anos, com passagens por homicídio e porte ilegal de arma de fogo; e José Wergiley Silva Vieira, de 23 anos, sem antecedentes.

Autuações

Geciano de Lima, André Garcia, Amauri Pereira e André Vieira foram autuados e responderão pelos crimes de associação criminosa, ameaça e lesão corporal. A Polícia Civil continuará investigando o caso. (Colaborou Itallo Rocha)

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.