ibicuitinga

Seis capturados e um morto em operação

01:00 · 15.05.2018 / atualizado às 01:16

Uma quadrilha envolvida com roubos a instituições financeiras e de veículos, homicídios e tráfico de drogas foi desarticulada em operação da Polícia Militar do Ceará (PMCE), em Ibicuitinga (a cerca de 194 km de distância de Fortaleza), na manhã de ontem. Seis suspeitos foram capturados e um foi morto.

Segundo um oficial da PM, que preferiu não se identificar, policiais do Comando Tático Rural (Cotar) e da Ronda Ostensivas com Cães (Roca) foram acionados para cumprir mandados de busca e apreensão, solicitados pelo Ministério Público do Ceará (MPCE), e deferidos pela Justiça estadual, com o objetivo de desarticular um bando que atuava em Ibicuitinga.

Informações levantadas pela Polícia apontam que o grupo criminoso também extorquia moradores da localidade de Canindezinho, para obter mais recursos para o cometimento de crimes. Os PMs se dirigiram à região, em busca dos criminosos, e conseguiram encontrar sete suspeitos.

Flávio Nobre Carneiro, de 40 anos de idade, reagiu à abordagem policial, trocou tiros com a PM e foi alvejado. Conforme a fonte, o acusado foi levado a uma unidade de saúde, mas não resistiu aos ferimentos. Entre os capturados, está um adolescente de apenas 15 anos de idade. Foram presos Adairton Maciel Sampaio, 50; Antônio Maciel Sampaio, 51; Diego Wallisson de Sousa Damasceno, 26; Elton Jaguaribe da Silva, 19; e Francisco Edson de Sousa Lima, 36.

Com a quadrilha, a PM apreendeu seis armas de fogo (quatro revólveres calibre 38 e duas espingardas calibre 12), munições, dois veículos e uma motocicleta. O material apreendido e os suspeitos capturados foram levados para a Delegacia Municipal de Morada Nova, da Polícia Civil, para abertura do procedimento.

Antecedentes

Quatro suspeitos de integrarem a quadrilha desarticulada possuem ficha criminal. De acordo com o oficial do Cotar, Flávio Carneiro, respondia a dois crimes de homicídio, três por receptação, associação criminosa, estelionato, ocultação de cadáver e também por porte ilegal de arma de fogo.

Adairton Sampaio responde a seis homicídios, três vezes por associação criminosa, quatro por porte ou posse ilegal de arma de fogo. O irmão dele, Antônio Sampaio, já tinha passagens por dois homicídios, associação criminosa e porte ilegal de arma de fogo. Já Diego Wallisson tinha sido detido por resistência, desobediência e desacato.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.