Quatro ataques aos Correios em 1 mês

00:00 · 11.03.2017
tab
Clique para ampliar

Em menos de 30 dias, quatro agências dos Correios foram atacadas, no Ceará. Os casos aconteceram em Aurora, na Região do Cariri; em Itarema, na Região Norte; no Distrito de Pecém, em São Gonçalo do Amarante; e a mais recente aconteceu, nessa sexta-feira (10), no Distrito de Jurema, em Caucaia.

LEIA MAIS

.Ladrões de banco fugitivos de CPPL são recapturados 

De acordo com o tenente coronel Geovane Martins, comandante da Área Integrada de Segurança 7 (Caucaia), um grupo armado chegou à agência, localizada na Avenida Dom Almeida Lustosa, rendeu o vigilante e anunciou o assalto. Do local, foram levados uma grande quantidade em dinheiro e a arma do vigilante. A Polícia estima que cerca de R$ 100 mil tenham sido subtraídos pelos assaltantes.

As diligências para descobrir mais detalhes sobre o caso foram iniciadas logo após o roubo, mas até agora ninguém foi preso. Os policiais que acompanharam a ocorrência afirmaram que já tem um indicativo de quem é o líder do bando e suspeitam que ele tenha participado da ação.

Outros casos

No dia 6 de março, um cliente da agência dos Correios do Distrito do Pecém, em São Gonçalo do Amarante, foi ferido durante uma tentativa de assalto. A PM chegou ao local quando o crime estava em andamento e houve uma troca de tiros com os suspeitos. Três suspeitos da tentativa de roubo acabaram presos. A vítima, alvejada por uma bala perdida, que não teve o nome divulgado, foi levada ao Instituto Doutor José Frota (IJF), no Centro de Fortaleza, em estado grave.

Em ação anterior, no dia 2 de março, o Correios de Aurora foi atacado por dois homens. Conforme testemunhas, eles estavam armados com revólveres. Os suspeitos renderam um vigilante e entraram na agência. Ninguém foi preso por envolvimento no caso.

Em 21 de fevereiro, dois homens sequestraram a família do gerente dos Correios de Itarema. A dupla executou uma prática criminosa conhecida como 'sapatinho'. A ação aconteceu dez dias após a PM frustrar os planos de uma quadrilha de sequestrar a família do gerente do Banco do Brasil da Cidade.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.