ATAQUES A LOJAS

Quadrilha presa após assalto

01:51 · 02.10.2010
( )
O grupo fez reféns em uma loja de informática, no Centro, fugiu com vários produtos, mas foi detido pelo BpChoque

Polícias militares do Canil do Batalhão de Polícia de Choque (BpChoque) desarticularam, ontem, nesta Capital, uma perigosa quadrilha de assaltantes que vinha atacando lojas de informática em Fortaleza e na região metropolitana. O grupo era envolvido, ainda, em tráfico de drogas. O homem que comandava o bando foi identificado como sendo o carioca José Roberto de Jesus, um dos bandidos mais procurados pela Polícia no Norte e Nordeste.

A captura da quadrilha aconteceu logo após ela praticar mais um assalto contra uma loja de artigos de informática. O estabelecimento comercial, situado na Rua Jaime Benévolo, no Centro, foi invadido por volta de 12h30.

Os assaltantes renderam os funcionários e roubaram uma vasta quantidade de produtos. "Eles nos ameaçaram de morte. Um deles ficou com uma arma apontada em nossa direção e outros dois se encarregaram de levar a mercadoria para um carro que estava nas proximidades da loja", contou um dos reféns ao comandante do BpChoque, tenente-coronel João Batista dos Santos, no 2º DP (Aldeota).

Fuga

Os assaltantes roubaram da loja sete notebooks, cinco retro-projetores (data-show), vários aparelhos celulares, dinheiro e joias dos funcionários e clientes. Em seguida, fugiram em dois veículos, o Gol de placas JVC-6155 (inscrição de Belém do Pará), e o Fiesta HYJ-8461 (CE), ambos de cor cinza.

A Polícia foi acionada pelos reféns logo após a fuga da quadrilha e a patrulha do Roca (Ronda Ostensiva com Cães), do Canil do BpChoque, logo entrou em ação. A equipe, formada pelo cabo Ricardo e soldados S. Filho e Alexandro descobriu que o grupo havia seguido em direção à Aldeota. Um dos funcionários da loja informou que um dos assaltantes não lhe era estranho. Depois de várias diligências, os PMs chegaram a uma residência localizada na Travessa Gonçalves dos Santos, a poucos metros da Casa do Estudante. Quando a patrulha cercou a casa, dois dos bandidos tentaram fugir pelos fundos, mas não tiveram êxito. Um deles chegou a ferir-se nos pés ao tentar pular um muro onde havia ´pega-ladrão´.

Com a chegada de outras viaturas, o cerco foi concluído com a prisão dos quatro criminosos e a apreensão de todo o material que havia sido roubado.

A quadrilha foi encaminhada ao 2º DP, onde o material foi entregue. Os assaltantes foram, então, identificados como Jônathas Silva Sousa, Diego Souza Gomes, Eduardo Sousa Lima e, ainda, o carioca que, a princípio, disse chamar-se apenas José Roberto.

Além da mercadoria roubada, foram encontrados com os acusados uma pistola de calibre 7.65, com 12 balas intactas, e uma pedra de crack. As primeiras investigações levantaram a suspeita de que o grupo de assaltantes pode estar ligado a uma quadrilha de traficantes que atua na Praia de Iracema.

Investigação

"É possível que esta mesma quadrilha tenha praticado outros diversos assaltos contra lojas de informática em Fortaleza. Geralmente, quando eles são presos, já praticaram outros assaltos", explicou o coronel Batista.

"Mas, caberá agora à Polícia Civil aprofundar a investigação para, se for o caso, descobrir outros assaltos e, até mesmo, identificar outras pessoas envolvidas com o grupo", arrematou o comandante do Batalhão de Polícia de Choque.

Enquanto eram conduzidos à presença do delegado do 2º DP, os bandidos esconderam o rosto. Apenas um deles disse que era inocente. "Não tenho nada a ver com tudo isso", disse o acusado aos jornalistas.

A Polícia descobriu que o bando usava a casa na Aldeota como esconderijo sempre após cada um dos assaltos. O que levantou suspeitas foi o fato de os dois carros usados pela quadrilha não ter queixa de roubo. "A princípio, consultamos o sistema e deu carros com placas quentes (originais)", disse um dos militares que participaram da captura da quadrilha.

Os quatro homens presos deverão ser transferidos, nas próximas horas, para a Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), onde as investigações deverão ser aprofundadas, visto que nenhum apresentava documentos. Alguns podem ter fornecido nomes falsos à Polícia. Com forte sotaque carioca, o bandido que se identificou apenas por José Roberto, sem revelar o sobrenome, agora é suspeito de ter comandado outros ataques contra lojas de informática na Capital.

Filmados

Em vários assaltos do gênero, os criminosos chegaram a ser filmados pelas câmeras do circuito interno de segurança dos estabelecimentos. Essas imagens agora deverão ser comparadas ao reconhecimento dos bandidos presos.

Segundo o comandante do Choque, somente com o assalto praticado ontem, a quadrilha iria arrecadar cerca de R$ 40 mil, valor aproximado de todos os produtos roubados. Os notebooks recuperados com os ladrões têm preços que variam entre R$ 1,5 mil a R$ 1,8 mil. Já os retro-projetores custam, em média, R$ 1,7 mil.

Dinheiro

40 mil reais seria o prejuízo da loja que foi atacada, ontem, pela quadrilha. Mas uma patrulha do Canil do Batalhão de Choque conseguiu prender o bando e recuperar toda a mercadoria

FERNANDO RIBEIRO
EDITOR DE POLÍCIA

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.