Operação de inteligência

Preso bandido que explodiu bancos

00:49 · 17.08.2012

´Marcos Noé´ foi detido em seu apartamento e revelou onde havia escondido um fuzil. Três comparsas são caçados

Delegado Romério Almeida mostrou a arma que o bandido havia comprado no Paraguai, um fuzil de fabricação americana, de calibre 5.56, que custou US$ 9 mil. A Polícia já sabe que o bando usou artefatos para explodir os bancos fotos: alcides freire

Uma operação sigilosa que envolveu as coordenadorias de Inteligência (Coin) e de Operações Policiais (Copol) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), além da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), resultou, na madrugada de ontem, na prisão do homem apontado como chefe de uma quadrilha responsável por três ataques a bancos do Ceará.

Marcos Antônio da Silva, 28, o ´Marcos Noé´, estava sendo caçado desde o último dia 2, quando seu bando atacou e explodiu os caixas eletrônicos da agência do Banco do Brasil de Milhã (301Km de Fortaleza). Ele foi preso em seu apartamento, num condomínio localizado na Rua Ipê, bairro Monte Castelo.

Interrogado pelos agentes da Inteligência, o bandido revelou o local onde havia escondido um fuzil calibre 5.56, de fabricação norte-americana. A arma estava sob escombros de uma construção, à margem do Rio Ceará. Na residência de ´Noé´, os policiais encontraram farta munição da arma, cujo carregador tem capacidade para 30 cartuchos.

O titular da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), delegado Romério Moreira de Almeida, deu importantes detalhes da operação conjunta com a SSPDS.

 A explosão de artefatos em bancos vinha sendo investigada pelos setores de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social. Com a prisão do chefe da quadrilha, as autoridades poderão descobrir a origem dos artefatos FOTO: JOSÉ LEOMAR

Em depoimento, ´Marcos Noé´ contou ter comprado o fuzil no Paraguai e pagou US$ 9 mil. Sobre o ataque ao banco, revelou que cada participante da ação criminosa ficou com cerca de R$ 20 mil. Segundo Romério Almeida, o bandido tem envolvimento com sequestro, tráfico de drogas e ainda é suspeito de três homicídios.

  
Comparsas

No dia seguinte ao roubo no BB de Milhã, policiais militares prenderam cinco envolvidos no crime, Alex Ferreira da Costa, 30; Joaquim Santana Vasconcelos Filho, 18; Felipe Campos Liberato, 20; Antônio Wellington Gomes, 27, e Eloísa Liberalina Veras Santiago, 24. O coronel Hervano Macêdo, comandante de Policiamento do Interior, coordenou a caçada aos bandidos.

Durante a fuga, ´Marcos Noé´ deu um tiro no próprio pé, de maneira acidental. Apesar disso, ele conseguiu ficar sete dias escondido no matagal, na Zona Rural de Banabuiú. "Ainda estamos à procura das pessoas que o resgataram naquela região", disse Romério Almeida.

Apontado como envolvido em sequestro, assassinatos, tráfico de drogas e assaltos a bancos, Marcos Antônio da Silva, o ´Marcos Noé, escapou de um atentado, no ano passado, foi preso por vender cocaína e maconha, mas já estava em liberdade
 
Procurados

A Polícia ainda está à procura de três outros integrantes da mesma quadrilha. São eles, Felipe Emanuel de Oliveira Viana, o ´Copada´; Valdenízio Costa do Nascimento, o ´Val´, e Francisco de Assis Fernandes da Silva, conhecido pelo apelido de ´Irmão´. Segundo ficou apurado nas investigações, ´Irmão´ é o responsável pelas explosões nos bancos.

´Marcos Noé´ tem uma longa ficha de crimes. Em 2008, foi preso pela DAS após comandar o sequestro de um empresário do ramo de ´moda surf´. No ano passado foi preso após sofrer um atentado à bala quando saía de seu apartamento, em Parangaba. Na ocasião, a Polícia apreendeu uma vasta quantidade de maconha e cocaína com ele.

NÚMERO 3
Agências bancárias teriam sido atacadas pela quadrilha chefiada pelo assaltante ´Marcos Noé´. Os assaltos ocorreram entre os meses de janeiro e agosto
 
FERNANDO RIBEIRO/FERNANDO BARBOSA
EDITOR DE POLÍCIA/REPÓRTER

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.