Tortura e fraude processual

PM e dentista são presos no Crato

01:00 · 05.05.2018 / atualizado às 01:13

Um PM e um dentista foram presos, na manhã de sexta-feira (4), no Município de Crato, na Região do Cariri. Policiais civis da Delegacia Regional do Crato e agentes da Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD), cumpriram os mandados de prisão e de busca e apreensão contra os suspeitos de tortura e fraude processual.

O militar detido, conhecido por Cabo Azevedo, atua no Serviço de Inteligência local. Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), os dois são alvos de um inquérito que apura a manipulação de uma abordagem policial, resultante na prisão de um ex-funcionário do dentista, no mês de janeiro deste ano, no Crato.

O major Luciano Rodrigues, comandante do 2º BPM, disse que foi surpreendido com a prisão do policial que, segundo ele, atua há mais de 10 anos na Corporação. "A ficha dele tem bastante elogios, mas temos a convicção de que o ser humano está sujeito à erros na sua atividade. Vamos garantir a neutralidade nas investigações", afirmou.

Segundo o oficial, a Polícia Militar vai dará apoio jurídico ao cabo. "A Justiça decretou sua prisão preventiva, com certeza, com motivações jurídicas. Nossa Associação de Cabos e Soldados Militares do Ceará (ACSM-CE) está acompanhando o policial neste momento", concluiu.

Investigação

Em nota, a SSPDS informou que as investigações seguem, visando identificar outros envolvidos. A Pasta acrescentou que mais detalhes serão divulgados em momento oportuno.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.