Itaitinga

Pais de irmãos mortos em incêndio depõem à Polícia

Eloá Gonçalves, Anthony Gonçalves e Estela Gonçalves dormiam juntos em um quarto, quando foram atingidos pelo fogo e não resistiram ( Fotos: Saulo Roberto )
01:00 · 06.06.2018

Os pais e o tio das três crianças que morreram queimadas dentro de casa, durante um incêndio, ocorrido na madrugada da última segunda-feira (4), na Rua Sete, no bairro Barrocão, em Itaitinga, prestaram depoimento à Polícia Civil. A Delegacia Metropolitana de Itaitinga apura se houve alguma negligência por parte dos familiares. O delegado titular, Paulo Castelão, disse que foi realizada uma coleta sanguínea dos três depoentes para saber se eles haviam ingerido bebida alcoólica.

"Só após o resultado do laudo pericial será possível constatar se foi abandono de incapaz ou uma fatalidade", afirmou Castelão, após ouvir os parentes das vítimas. Ainda de acordo com o delegado, os pais e o tio de Maria Eloá Gonçalves, de dois anos; Anthony Ruan Gonçalves, de cinco anos; e Maria Estela Gonçalves, de seis anos, relataram que entre 21 e 22h do último domingo (3), toda a família estava em uma residência próxima de onde moravam.

Por volta das 2 horas de segunda-feira (4), segundo eles, as três crianças, que estavam dormindo, foram levadas para casa no colo. Os pais das vítimas afirmaram que, ao chegar no imóvel, ligaram o ventilador e fecharam as portas da casa. Em seguida, voltaram à residência, para recolher os objetos que haviam sido deixados pelas crianças.

Cerca de 10 minutos depois, uma mulher teria informado ao casal que o imóvel estava pegando fogo. Em depoimento, o tio relatou que estava dormindo na sala e não percebeu o que estava acontecendo no quarto onde os três irmãos estavam acomodados. Conforme Paulo Castelão, os vizinhos, de forma voluntária, também depuseram.

Peritos estiveram no local do incêndio, momentos após as chamas terem sido debeladas pelo Corpo de Bombeiros Militar (CBM). Existe a suspeita que um curto-circuito ou o superaquecimento de algum equipamento elétrico tenham iniciado o fogo.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.