Carga recuperada

Ordem para roubo partiu de presídio

01:00 · 04.09.2018
foto
O trio foi detido e levado à sede da DRFVC, onde foi autuado pelo crime de receptação, segundo o delegado Adriano Félix ( Foto: Rodrigo Gadelha )

Uma quadrilha responsável por roubar cargas na Capital e Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) é investigada pela Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC), da Polícia Civil do Ceará (PCCE). A ordem para efetuar as ações parte de dentro de um presídio cearense. No último dia 23 de agosto, no bairro Messejana, três suspeitos de participarem do esquema e receptarem uma carga de café roubada, avaliada em R$ 30 mil, foram presos em flagrante.

Antônio Lemos Rabelo, de 42 anos, teria comprado a mercadoria para pagar uma dívida com Manoel Bento Guimarães Neto, 48. Jackson Arruda da Silva, 25, realizava o transporte da mercadoria. O trio foi detido no momento em que descarregava a carga no comércio de Manoel Bento e levado à sede da Especializada, onde foi autuado pelo crime de receptação.

O motorista também foi indiciado por receptação de veículo e adulteração, já que o caminhão que dirigia na abordagem policial era roubado e estava com a placa 'clonada'. Jackson já tinha passagem pela Polícia por porte ilegal de arma de fogo.

Os fardos de café recuperados pela Polícia haviam sido roubados no dia 17 de agosto, quando o caminhão de uma transportadora que levava a carga foi interceptado por cerca de quatro criminosos, na Messejana.

Especializada

Segundo o titular da DRFVC, delegado Adriano Félix, as prisões permitiram a identificação de suspeitos de integrarem uma quadrilha especializada em roubo de cargas e receptação, na Capital e RMF. No entanto, ele ressalta que o trio detido não é suspeito de realizar os roubos a mão armada.

Um outro homem, identificado como Francisco José Pontes da Silva, 49, teria intermediado a venda da mercadoria roubada com Antônio Rabelo. Ele compareceu à Delegacia, foi indiciado por receptação qualificada, mas acabou liberado em seguida, devido a ausência de flagrante.

Félix afirma que Francisco José é o elo entre a cúpula da quadrilha e as pessoas interessadas em comprar as cargas roubadas. Ele já respondia a outros cinco processos por receptação, além de um estelionato.

O presídio onde está recluso o líder da organização não foi especificado pelo titular da DRFVC. A investigação prossegue, com o intuito de identificar todos os crimes cometidos pelo bando. Adriano Félix acredita que todos os envolvidos no esquema criminoso serão presos até o final das apurações. A carga de café e o caminhão, apreendidos pela Polícia, foram restituídos aos proprietários. (Colaborou Alessandra Castro)

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.