Fuzil apreendido

Trio é preso portando distintivos da PMCE; um dos suspeitos era foragido da CPPL IV

Dois outros homens, que aparecem no vídeo divulgado nas redes sociais, ainda não foram capturados

16:20 · 02.05.2018 / atualizado às 14:18 · 03.05.2018
aaa
Com os suspeitos também foram encontrados coletes balísticos e arma de grosso calibre ( Foto: Itallo Rocha )

Três pessoas foram presas, sob a suspeita de portar materiais utilizados pelas polícias Civil e Militar, na última terça-feira (1°), nos bairros Maraponga e Serrinha. Dos três capturados, dois deles aparecem em imagens, que foram divulgadas em redes sociais, exibindo armas de fogo, distintivos e coletes com símbolos policiais. Dois outros suspeitos envolvidos na ação criminosa estão foragidos.

Mateus Maviniê de Oliveira Rodrigues Viana, o ‘Lobão’, 18, foi preso em frente à casa onde morava, em uma ocorrência realizada pela Polícia Militar, na Rua Montevidéu, na Favela Garibaldi, localizada no bairro Serrinha (Zona Sul da Capital). No interior da residência do suspeito, a equipe policial encontrou munições de calibres 38 e 5.56.

Geovane Diogo Silva Oliveira, o ‘Geo’, 29, foi capturado na Rua Jaime Rolemberg, no bairro Maraponga. Ele estava foragido da Casa de Privação Provisória e Liberdade Agente Elias Alves da Silva (CPPL IV) desde o fim do ano passado, quando recebeu indulto natalino e não retornou ao equipamento.

No momento da diligência, a companheira do suspeito, identificada como Rayane Louises Feitosa Lopes, 25, fechou as portas da casa, no intuito de impedir o trabalho dos militares, utilizando um cachorro da raça pitbull para espantar os policiais enquanto ‘Geo’ tentava fugir pelo telhado. 

Ao realizar as buscas nos cômodos da residência, a equipe policial encontrou um fuzil calibre 5.56, dois revólveres calibre 38, uma pistola .40 e carregadores de diversos calibres. No total, 250 munições foram apreendidas na ocorrência. Geovane Oliveira afirmou ser o proprietário das armas de fogo e dos outros objetos, relatando que os mantinha em casa por temer ataques de grupos rivais.

De acordo com o comandante do 21° batalhão da Polícia Militar, Alexandre Silveira, o material, provavelmente, é fruto de roubos ou furtos contra profissionais que trabalham com segurança ou à empresas de vigilância. 

O comandante afirma que Mateus Viana e Geovane Oliveira eram envolvidos em uma série de mortes e conflitos entre grupos rivais na região do bairro Serrinha. Os revólveres e a pistola estão sendo rastreados para saber a origem dos armamentos.

Segundo o chefe de gabinete da Polícia Civil do Estado do Ceará, Sérgio Pereira, existem mais pessoas que compõem o grupo. “Nós acreditamos que esta é só a ponta do iceberg. O objetivo é encontrar os demais integrantes da facção criminosa”, pontua.   

Autuações

Mateus Viana responde por tentativa de homicídio e Geovane Oliveira por homicídio, tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo e crime de trânsito. O trio foi encaminhado à sede da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), onde foi autuado por posse ilegal de arma de fogo de uso restrito e uso permitido, e na Lei de Organizações Criminosas. Os dois homens responderão por uso indevido de distintivos e Rayane Lopes por favorecimento pessoal. As investigações prosseguirão, com o objetivo de capturar os demais envolvidos. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.