CAPTURA

Suspeito de matar motorista de ônibus é preso em Pacajus

Segundo a PM (CE), o autor dos disparos não tinha antecedentes criminais

11:00 · 09.09.2018 / atualizado às 16:55
onibus_pacajus
Ônibus transportava um time de futebol, quando o motorista foi baleado e morreu no local do crime ( Foto: VC Repórter )

O suspeito Bruno de Almeida Alves (19), acusado de atirar em um motorista de ônibus, foi preso em flagrante pelo Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio), da Polícia Militar do Ceará (PM/CE), na noite deste sábado (8), em Pacajus (CE).

Ele é suspeito de ser um dos autores dos disparos que mataram o motorista de ônibus Jean Monte Fernandes (43). Bruno foi preso com duas armas, momentos depois da ocorrência do crime. A ação criminosa ainda deixou duas pessoas feridas, e que não correm risco de vida.  

Ainda segundo a PM (CE), os policiais faziam patrulhamento pelo Centro de Pacajus, quando escutaram tiros de arma de fogo vindo da direção da Rua Cônego Eduardo Araripe, próximo à Igreja Matriz. 

No local, os policiais encontraram o corpo da vítima, com as marcas de tiro. Ao se depararem com o suspeito, que imediatamente tentou se livrar de um revólver calibre 38, os agentes de segurança também acharam uma espingarda artesanal calibre 12, no chão.

Sem antecedentes 

Bruno de Almeida Alves não tinha antecedentes criminais e foi conduzido para o plantão da Delegacia Metropolitana de Horizonte (CE), onde foi autuado, em flagrante, por homicídio doloso. A polícia informou que as investigações seguem, com o intuito de capturar um segundo suspeito de participar do crime. 

Ainda de acordo com os policiais, "os suspeitos chegaram de moto, emparelharam com o ônibus (que transportava integrantes de um time de futebol do subúrbio) e começaram a disparar. Além do motorista, duas pessoas foram baleadas e conduzidas para uma unidade de saúde. Ambas as vítimas já foram liberadas do hospital", diz a nota do BPRaio.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.