Foragidos

Seis suspeitos de matarem líderes do PCC no Ceará têm prisão decretada pela Justiça

Um dos suspeitos, conhecido como 'Cabelo Duro', foi assassinado a tiros em São Paulo, na última quinta-feira (22)

15:45 · 23.02.2018 / atualizado às 16:27

Image-0-Artigo-2364298-1

Seis suspeitos de matarem dois líderes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), Rogério Geremias de Simone, o 'Gegê do Mangue', 41, e Fabiano Alves de Souza, o 'Paca', 38, em Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), no último dia 15 de fevereiro, tiveram a prisão temporária decretada pela 1ª Vara da Comarca de Aquiraz, a pedido da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), da Polícia Civil do Ceará.

Os mandados de prisão foram expedidos para Wagner Ferreira da Silva, Francisco Cavalcante Cidro Filho, José Cavalcante Cidro, Samara Pinheiro de Carvalho Cavalcante, Magna Ene de Freitas e Felipe Ramos Morais. O Diário do Nordeste teve acesso ao documento.

Wagner Ferreira, conhecido como 'Cabelo Duro', 32, foi assassinado na noite da última quinta-feira (22), em frente a um hotel em São Paulo. Ele era um dos chefes do PCC e comandava o tráfico de drogas na Baixada Santista.

O homicídio aconteceu horas depois da divulgação, pela imprensa, de um bilhete que citava 'Cabelo Duro' e foi apreendido na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, onde está detida a alta cúpula da facção criminosa. O escrito dizia que ele havia revelado que outro membro do PCC, Gilberto Aparecido dos Santos, o 'Fuminho' (braço direito do líder máximo da organização, Marco Willians Herbas Camacho, o 'Marcola') foi o responsável por mandar matar os líderes da facção no Ceará.

Felipe Morais seria o piloto do helicóptero que teria levado 'Gegê' e 'Paca' para serem mortos. Francisco Cidro Filho, José Cidro, Samara Cavalcante e Magna Ene também estariam envolvidos no duplo homicídio, na reserva indígena Lagoa Encantada, em Aquiraz.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.