Latrocínio

Quatro presidiários são suspeitos de 'sequestro-relâmpago' e morte de empresário no ano passado

Suspeitos já estão presos por outros crimes e têm extensa ficha criminal

15:26 · 11.08.2017
delegado George Monteiro
Delegado George Monteiro, da DHPP, apresentou resultados da investigação que durou um ano ( Foto: Cid Barbosa )

Quatro homens que já se encontram no sistema penitenciário cearense foram identificados como suspeitos de roubar e manter refém (prática conhecida como 'sequestro-relâmpago') e, depois, de matar o empresário potiguar Walfredo Marcelino Crisóstomo, em Fortaleza, no dia 13 de julho de 2016. Os mandados de prisão preventiva foram cumpridos na última segunda-feira (7) e divulgados pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil, nesta sexta (11).

Walfredo Crisóstomo era proprietário de lojas de autopeças. No dia do crime, o empresário estava resolvendo negócios, por alguns estabelecimentos. Quando estacionou o veículo Toyota Hilux em um deles, na BR-116, foi arrebatado por Francisco Romário Rodrigues Madeira, 28, e Ramiro Rodrigues Chagas, 20, segundo a Polícia.

A dupla tomou a direção da Hilux e manteve Walfredo refém. Conforme a investigação, os dois criminosos passaram dados das contas bancárias e dos cartões de crédito do empresário a Joaben de Oliveira Silva, 25, e Adelson de Araújo Rocha, 26, que estavam em outro veículo, próximo a Avenida Silas Munguba, na Capital.

Com as informações, Joaben e Adelson fizeram um saque de R$ 1 mil em um caixa eletrônico, em uma agência bancária, e compras de R$ 1,6 mil em uma loja, dentro de um shopping. A DHPP identificou a dupla a partir de imagens das câmeras de monitoramento dos estabelecimentos.

Homem é morto por motivo desconhecido

Por algum motivo ainda desconhecido para a Polícia, Romário e Ramiro assassinaram o empresário com vários tiros, dentro da Hilux. A Polícia trabalha com as hipóteses de que a vítima tenha reagido ao 'sequestro-relâmpago' ou reconhecido um dos criminosos.

O corpo de Walfredo foi encontrado pouco tempo depois, em uma estrada carroçável do bairro Conjunto Palmeiras. Já o veículo foi encontrado no dia seguinte, 14 de julho, abandonado, em um condomínio no município de Caucaia.

Após um ano de investigação, a DHPP identificou a quadrilha. Todos os suspeitos já se encontravam presos por outros crimes, em unidades do sistema penitenciário cearense diferentes. 

Joaben, apontado como líder do grupo criminoso, tem passagens na Polícia por roubo e tráfico de drogas; Adelson, por receptação, tráfico de drogas, homicídio e roubo; Romário, por homicídio, porte ilegal de arma de fogo, receptação, roubo e violência doméstica. Agora, todos foram indiciados por latrocínio e associação criminosa.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.