Poucas horas depois

Quatro policiais e ex-PM são presos por suspeita de homicídio em Jericoacoara

A CGD já instaurou procedimentos disciplinares contra os agentes de segurança

12:24 · 21.03.2018 / atualizado às 13:48

Quatro policiais (dentre eles três militares e um civil) e um ex-PM foram presos pela Polícia Militar de Acaraú, na última terça-feira (20), por suspeita de cometerem um homicídio em Jijoca de Jericoacoara, horas antes da prisão.

A Controladoria Geral de Disciplina (CGD) afirmou, em nota, que "já instaurou procedimentos disciplinares para apuração na seara administrativa, bem como solicitou a transferência do inquérito policial da Delegacia de Jijoca para a Delegacia de Assuntos Internos (DAI)".

De acordo com informações de um policial militar que trabalha no Litoral Oeste do Estado, PMs da 5ª Companhia do 4º Batalhão de Policiamento Comunitário (BPCom), sediada em Acaraú, realizaram a prisão do grupo ao abordarem um veículo suspeito.

Conforme informações da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), foram presos o ex-policial militar José Luciano de Sousa Queiroz, de 37 anos de idade; os policiais militares Manoeldo Pereira de Sousa, 37, Leandro César de Mesquita Araújo, 35, e Francisco Thiago Gomes da Silva, 33 - que estava afastado temporariamente do serviço ativo da PMCE para tratamento de saúde; e o policial civil Marcondes Nangle Gomes Quirino, 43.

Com o grupo, foram apreendidas uma pistola calibre .40 mm, duas mochilas, um rádio comunicador, 11 munições intactas calibre .40mm, três munições intactas calibre 380 mm, uma munição intacta calibre 38 mm, duas munições intactas calibre .357 mm, além de um caderno de anotações.

A quadrilha é suspeita de matar Francisco Renan Portela de Araújo, 28. Os suspeitos foram conduzidos para a Delegacia Regional de Itapipoca e em seguida foram levados para a Delegacia Municipal de Jijoca de Jericoacoara. A investigação será transferida para a DAI, da Controladoria Geral.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.