CRUZ

Quadrilha é desarticulada após contrabandear produtos importados

Com os suspeitos, foram apreendidos uma arma de fogo, munições e, aproximadamente R$ 5 mil em espécie

20:20 · 11.07.2018 / atualizado às 20:21
Carga roubada
Durante a ação, foram apreendidos uma topic, três caminhões, 1500 caixas de cigarro e, aproximadamente, R$ 5 mil em espécie ( Foto: Divulgação / Polícia Militar )

Sete homens foram capturados, na tarde desta quarta-feira (11), na Praia do Morgado, em Cruz, município localizado no litoral oeste cearense, suspeitos de contrabandearem produtos importados. Durante as diligências, um oitavo integrante do grupo morreu.

Os suspeitos foram identificados como José Edilson Amancio, 51; Jeorge Pedro de Oliveira, 40; Wesley Sousa Pessoa, 22; John Aglairton Lemos de Castro, 38; Francisco Wagner de Araújo, 18; Flávio Menezes Silva, 31; e George David de Souza, 37. Um oitavo integrante, Francisco Jairo da Cunha, morreu durante a perseguição ao grupo criminoso.

Na ofensiva, foram apreendidos uma topic, três caminhões, uma pistola calibre ponto 40, um carregador para munições, cinco cápsulas de arma de fogo, aproximadamente, 1500 caixas de cigarro; e, aproximadamente, R$ 5 mil em espécie.

Ao chegarem no local da denúncia, os militares avistaram um caminhão e solicitaram ao condutor que parasse o veículo. Após o homem não ter obedecido à ordem, os agentes iniciaram uma perseguição a ele.

Na abordagem ao caminhão, os profissionais de segurança se depararam com um Toyota, modelo Hilux, em que alguns dos homens fugiram, iniciando uma  nova perseguição e um tiroteio entre os policiais e os suspeitos

Uma topic também foi abordada e dois dos ocupantes que faziam parte do grupo foram presos. Dois outros homens, que estavam em uma motocicleta, também foram capturados.

A equipe da PM foi resgatar um outro caminhão, que estava atolado, e, ao chegar ao local, foi recebida a bala, iniciando uma outra troca de tiros. Durante o fato, um dos suspeitos ficou ferido. Após cessado o conflito, os agentes o socorreram para o hospital, onde ele morreu.

Os militares se dirigiram para a Delegacia de Polícia de Cruz e, em seguida, para a Delegacia de Polícia Federal, em Fortaleza, para que os procedimentos cabíveis aos crimes cometidos pelo grupo fossem lavrados. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.