Presos federais estão de volta ao Ceará

Alemão, do furto ao Banco Central, é um deles

15:53 · 02.01.2012 por Felipe Lima

Nove presos do sistema federal estão de volta ao Ceará. Os homens, considerados de alta periculosidade, estavam nos presídios do Paraná e Campo Grande e retornaram ao Estado no fim do ano passado. Entre eles estão o líder do furto ao Banco Central, Antônio Jussivan Alves dos Santos, o "Alemão"; e o ex-sargento Jean Charles da Silva Libório, cujo nome é envolvido aos homicídios praticados pela quadrilha do iraniano Farhad Marvizi.

Alemão estava no Presídio Federal de Catanduvas, no Paraná, desde março do ano passado. Na época o líder do furto milionário havia sido transferido da Casa de Privação Provisória de Liberdade I (CPPL I), em Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza, junto a nove outras pessoas.

O período estipulado para permanência de Alemão em Catanduvas era de até um ano, mas a Justiça Federal da Vara de Execução Penal de Catanduvas determinou seu retorno. Além dele foram transferidos para o Ceará os presos Antônio Carlito Avelino, Daniel Belmiro José Rodrigues, Francisco das Chagas Galeno, Francisco Talvane Teixeira, Leonardo de Souza dos Santos, Marcelo Sarruf e Rodrigo Luchette.

Considerado de alta periculosidade, o ex-sargento Jean Charles da Silva Libório também voltou aos presídios do Ceará. Ele estava na Penitenciária Federal de Campo Grande. Libório é acusado de fazer parte do grupo de extermínio liderado pelo iraniano Farhad Marvizi e foi expulso da Corporação em junho do ano passado.

De acordo com a Secretaria de Justiça e Cidadania do Ceará (Sejus), a decisão da Justiça não contou com a participação da administração penitenciária cearense.

Reforço na Segurança

A Sejus publicou no dia 9 de dezembro no Diário Oficial do Estado um edital para uma Parceria Público Privada (PPP) que tem como objetivo a construção, operação e manutenção de um Complexo de Alta Segurança para o Estado do Ceará. No edital, as empresas devem apresentar estudos com a visibilidade técnica, econômica e financeira.

Como especifica o edital, o Complexo de Alta Segurança será composto por duas unidades penitenciárias, sendo uma de 100 (cem) vagas e outra de 650 (seiscentas e cinqüenta) vagas. Será construído em Aquiraz com a total desativação do Instituto Penal Paulo Sarasate (IPPS).

O Edital de Solicitação com as condições e demais informações para apresentação da Manifestação de Interesse estarão disponibilizadas o site da Sejus.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.