Alega legítima defesa

Policial civil suspeito de matar PM é liberado após socorrer a vítima

O inspetor alega que disparou contra o militar em legítima defesa. O crime aconteceu na noite dessa terça-feira (1º) na Praia do Futuro

15:19 · 02.05.2018 / atualizado às 16:38

O policial civil Egberto Setúbal Freitas, 25, suspeito de matar a tiros um sargento da Polícia Militar, na noite dessa terça-feira (1º), foi liberado após socorrer o PM e se apresentar ao 9º Distrito Policial (Praia do Futuro). A vítima, identificada como Francisco Bonivarde Castelo Branco Naum, não resistiu aos ferimentos e morreu no Instituto Doutor José Frota (IJF).

>PM morre após ser baleado por policial civil em barraca na Praia do Futuro

De acordo com o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Ceará (Sinpol-CE), Lucas Oliveira, antes de saber que a vítima era um PM, Freitas já havia prestado socorro. No caminho ao hospital, Egberto Setúbal teria avistado uma viatura da Polícia Militar, informado que o baleado se tratava de um servidor e pedido que fosse feita uma escolta até a chegada ao IJF.

"Ele se identificou como um policial civil. Aí foram para o 9º DP e depois para a DAI. O delegado do 9º disse que vai fazer procedimento por portaria. Foi uma fatalidade. O policial civil disse que foi em legítima defesa porque o sargento já tinha efetuado disparos. O Sinpol presta assessoria jurídica ao inspetor Egberto", disse Lucas Oliveira.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.