Redes sociais

Polícia "não recuará" diante de ameaças de criminosos, diz secretário de Segurança Pública

André Costa afirmou que reações já eram esperadas após a morte, na última sexta-feira (17), de um líder de gangue do bairro Sapiranga em ação policial. Episódio pode ter provocado onda de ataques a ônibus registrada na Capital.

16:04 · 19.03.2017 / atualizado às 19:31
secretario
Secretário afirmou que todos os agentes que atuam no Estado já tomaram a ofensiva e devem "seguir adiante" no caso. ( Foto: Kleber Gonçalves )

Em mensagem publicada neste domingo (19) nas redes sociais, o secretário de Segurança Pública do Ceará, André Costa, afirmou que a Polícia estadual "não recuará" diante de ameaças proferidas após a morte de um líder de gangue da Capital durante ação policial no bairro Aerolândia, na última sexta-feira (17). 

Na publicação, Costa disse que "não adianta criar vídeos ameaçadores e postagens no Facebook, por trás de uma câmera todo homem é macho". Ainda na mensagem, o secretário afirmou que todos os agentes que atuam no Estado - incluindo policiais civis e militares, bombeiros, peritos e auxiliares de Perícia - já tomaram a ofensiva e devem "seguir adiante" no caso. 

 Após a morte de Weverton da Costa Santos, o "Saboré", líder de uma gangue que atuava no bairro Sapiranga, ocorreram ameaças de supostos criminosos nas redes sociais. Há suspeitas de que o episódio tenha provocado a onda de ataques a ônibus registrada na Capital na sexta-feira (17). Três veículos foram incendiados nos bairros Sapiranga, Alagadiço Novo e Prefeito José Walter. O  incêndio de uma cabine da Polícia Militar no Centro de Fortaleza na madrugada do sábado (18) também podem ter tido a mesma motivação. 

"Quanto às reações dos criminosos, já esperávamos e contávamos com elas. Algo que viria naturalmente. Mas estamos unidos e prontos para reagir sempre à altura, oferecendo a eles os caminhos que queiram percorrer. Só um aviso: sejam sábios, escolham o menos pior", afirmou o secretário. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.