Homicídio

Polícia identifica quadrilha que filmou execução no Ancuri

O grupo está envolvido em um segundo homicídio e em uma tentativa de resgate em Itaitinga

17:27 · 23.02.2015 por Jéssika SInsnando
Uma das suspeitas que aparece na gravação filmando e questionando se não ia poder atirar também, foi identificada como Ariadna Lima Cordeiro, conhecida como 'Nobinha'
Outro suspeito foi identificado como Jorge Maciel de Sousa, de 21 anos

A Polícia Civil identificou a quadrilha suspeita de executar e filmar a morte de Fábio Rodrigues de Sousa, 24. O crime ocorreu por volta das 11 horas da última terça-feira (17). A informação foi repassada durante coletiva nesta segunda-feira (23).

Segundo o delegado George Monteiro, a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (HPP) esteve no local do crime e o 6º DP, que coordena a Área Integrada de Segurança 4 (AIS-4) junto do 6º DP, que é responsável pela área do Ancuri, trabalharam juntos para identificar os suspeitos. 

Ariadna Lima Cordeiro, conhecida como 'Nobinha', que aparece na gravação filmando e questionando se não ia poder atirar também. Um dos suspeitos é um adolescente de 17 anos (nome preservado), além de Jorge Maciel de Sousa, de 21 anos Todos se encontram foragidos e, apesar das diligências, a Polícia ainda não encontrou o grupo. Além de uma quarta pessoa conhecida somente por Matheus.

"Não se trata de um grupo que se articulou para matar um desafeto. É um grupo organizado, responsável por outros crimes, inclusive um outro homicídio que houve no domingo de Carnaval, dia 15, em um local próximo ao da execução de Fábio.  Eles também são responsáveis pelo resgate da delegacia de Itaitinga. Um dos indivíduos, inclusive, veio a óbito em confronto com a Polícia", comenta. 

Ainda de acordo com o delegado George, o grupo tentava dominar o tráfico na área do Santa Fé e possuiam um inimigo do tráfico. O objetivo era minimizar o grupo do rival. A vítima estava envolvida com o tráfico e seria um concorrente dos suspeitos, mesmo não possuindo nenhum antecedente criminal. 

Sobre companheiro da vítima no momento do crime, o delegado ressaltou que ele não tinha nenhum envolvimento. 

 

 
Todos os três efetuaram os disparos.  O menor foi o primeiro, o segundo foi Mateus, o terceiro o Jorge Marciel, que que efetuou apenas um disparo em razão das munições terem acabado.  Jorge responde na Justiça por homicídio, a Ariadna não possui registro policial, mas tem uma irmã que está recolhida no presídio por assalto. Já o rapaz identificado apenas como "Mateus" seria irmão do homem que morreu durante uma tentativa de resgate em Itaitinga. 
 
A munição utilizada no crime foi de pistola calibre 380 que foram apreendidos no local. Parentes dos suspeitos foram ouvidos e colaboraram com as investigações e,  inclusive, identificaram os próprios familiares no vídeo. 
 
Indagado pela motivação da divulgação do vídeo, o delegado disse que os suspeitos achavam que ficariam impunes. "Nós acreditamos que pela certeza de impunidade eles têm. Não acreditavam que iríamos nos empenhar e identificá-los e prendê-los", explicou. 
 

 
A Polícia solicita que as pessoas que possam colaborar com as investigações entrem em contato pelo número 121 e dos telefones da Divisão de Homicídios 3257.4807. 

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.