Operação Mimetismo

PF cumpre mandados judiciais no Ceará em operação contra fraude na Previdência

A investigação estipula que a organização criminosa causou um rombo de R$ 9,4 milhões nos cofres públicos

11:08 · 26.06.2018 / atualizado às 11:23

A Polícia Federal (PF) deflagrou a 2ª fase da 'Operação Mimetismo', que combate fraudes em benefícios previdenciários, e cumpriu mandados judiciais no Ceará e no Pará, nesta terça-feira (26). A investigação estipula que a organização criminosa causou um rombo de R$ 9,4 milhões nos cofres públicos.

De acordo com a PF, foram cumpridos três mandados de prisão preventiva, sendo um deles em uma unidade penitenciária do Ceará, onde já está detido o chefe da quadrilha; e dois no Estado do Pará. E quatro mandados de busca e apreensão, sendo um em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), e três em Belém (PA).

Participaram da 2ª fase da Operação 16 policiais federais, para o cumprimento dos mandados expedidos pela 32ª Vara da Justiça Federal no Ceará.

Os envolvidos responderão pelos crimes de estelionato previdenciário, associação criminosa, falsificação de documento público e particular, falsidade ideológica, uso de documentos falso e lavagem de dinheiro, segundo a Polícia Federal.

Primeira fase da Operação

A 'Operação Mimetismo' foi deflagrada em janeiro deste ano, pela Polícia Federal. Os investigadores verificaram que os criminosos fraudaram 103 benefícios previdenciários e 20 contas bancárias, que teriam movimentado valores decorrentes de pagamentos efetuados indevidamente pelo INSS.

Os policiais federais apuraram também que o prejuízo aos cofres públicos foi de R$ 7,6 milhões, mas o número pode chegar a R$ 9,4 milhões, segundo a PF. "Além das prisões preventivas, foram sequestrados os valores nas contas bancárias, bem como o bloqueio dos benefícios tidos como fraudulentos", destacou o órgão, em nota.

As investigações foram realizadas pela Força Tarefa Previdenciária, formada pela Delegacia de Combate aos Crimes Previdenciários no Ceará e pela Coordenação de Inteligência Previdenciária no Ceará, com apoio da Delegacia de Combate aos Crimes Previdenciários no Pará.

A Operação foi batizada de 'Mimetismo' em referência à habilidade que alguns seres possuem de se camuflar, objetivando se esconder de seus predadores, explicou a PF. "No caso, o alvo principal vinha sendo investigado em vários inquéritos policiais no Ceará e Pará", completou.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.